AngolaDestaquesSociedade

Uma em cada cinco angolanas foi vítima de violência doméstica no último ano – INE

Uma em cada cinco angolanas (21,7%) diz ter sido vítima de violência física "frequentemente ou às vezes" no último ano, de acordo com um estudo temático publicado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A partir dos 20 anos, a percentagem de mulheres que sofreram violência física estabiliza, tendo uma variação entre os 32,9% e os 35,6%.

Ainda assim, 22,2% da mais jovem faixa etária analisada – entre os 15 e os 19 anos – já foi vítima de violência física.

As províncias de Malanje (com 56%) e Lunda-Norte (52%) registam o maior número de mulheres que assumiram ter sido vítimas de violência doméstica ao longo da sua vida.

No outro lado do espectro, a província de Kuando Kubango, com 8%, apresenta o menor número de casos relatados de violência contra mulheres dentro do agregado familiar.

Na capital angolana, Luanda, 30% das mulheres dizem já ter sido vítimas de violência física.

O relatório assinala ainda a existência de violência física cometida por mulheres contra o parceiro, tendo este número alcançado os 5%, no último ano, enquanto 6% dos homens afirmam já terem sido vítimas em algum momento.

Segundo o Recenseamento da População e Habitação de 2014, Angola contava com 5.544.834 agregados familiares, com uma média de 4,2 pessoas por agregação, e dos quais 62,2% (3.447.463) eram chefiados por homens e os restantes 37,8% (2.097.371) por mulheres.

Em Angola, 48% dos homens estão casados ou em união de facto, um número que, no caso das mulheres, sobe até aos 55%.

A nível de casamentos, é possível observar que a média de idades no primeiro casamento das mulheres é inferior à dos homens.

Nas várias faixas etárias, a média de idades de mulheres aquando do primeiro casamento varia entre os 20,4 anos e os 20,7 anos, ao passo que a dos homens varia entre os 23,7 anos e os 25,5 anos.

Cerca de 5% das 3.444 mulheres entrevistadas entre os 15 e os 19 anos afirmaram já estar casadas aos 15 anos. (Novo Jornal)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker