DestaquesEducaçãoEspaço UniversitárioSociedade

Candidaturas a 300 bolsas nas melhores universidades do mundo começam em Agosto

As candidaturas às bolsas de mestrado e doutoramento nas melhores universidades do mundo vão decorrer de 01 a 15 de Agosto.

Estão disponíveis 300 vagas, sendo 60 para especialidades médicas, 150 para mestrado e 90 para doutoramento em áreas como engenharia, tecnologia, e ciências agrárias, sociais e humanas.

Segundo a ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI), Maria Bragança Sambo, o Executivo prevê um investimento de cerca de 50 milhões de dólares para o programa de envio anual de 300 estudantes.

Maria Bragança Sambo disse que foram escolhidas universidades dos rankings da “Times Higher Education Rankings”, “QS World University Rankings” e “ARWU-Shangai Ranking”, localizadas em países como África do Sul, Argentina, Austrália, Alemanha, Bélgica, Brasil, Canadá, Chile, China, Coreia do Sul, Dinamarca, Espanha, EUA, França, Holanda, Itália, Japão, Noruega, Polónia, Portugal, Reino Unido, Roménia, Rússia, Singapura, Suíça e Ucrânia.

Os estudantes poderão fazer a inscrição a estas bolsas, inseridas no programa de envio anual de 300 licenciados/mestres angolanos, com elevado desempenho e mérito académico para as melhores universidades do mundo, no portal do Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudos (INAGBE).

As candidaturas estão abertas também para cidadãos nacionais com visto de estudante e até dois anos de permanência no país de formação, aceites ou a frequentar um curso de pós-graduação (1ª ano de mestrado ou 1/2 ª de doutoramento), numa universidade colocada no ranking das melhores do mundo em 2018.

O processo de selecção será assegurado por um júri nacional, com várias fases consecutivas e eliminatórias, como a realização de análise documental, testes de conhecimento, entrevista centrada nas competências, selecção pela instituição de ensino superior estrangeira.

Este programa de envio anual de 300 licenciados angolanos com elevado desempenho e mérito académico para as melhores universidades do mundo foi aprovado pelo Presidente da República em Março.

A resolução está incluída na Estratégia Nacional de Desenvolvimento de Recursos Humanos, do Programa Nacional de Formação de Quadros «PNFQ» e do Programa de Emprego e Formação Profissional.

De acordo com o decreto presidencial, a concretização deste Programa pressupõe a identificação das melhores Instituições de Ensino Superior e de Investigação estrangeiras, com o apoio das embaixadas angolanas.

“O Governo angolano poderá estabelecer acordos de parceria e de cooperação com essas instituições, para garantir a formação académica pós-graduada de jovens licenciados angolanos com elevada capacidade analítica e com alto desempenho, segundo os mais elevados padrões académicos”, pode ler-se no decreto presidencial.

A bolsa de estudo é concedida aos licenciados angolanos seleccionados, de acordo com os critérios de candidatura, para custear as despesas referentes à inscrição, matrícula e propinas dos cursos e à manutenção (alojamento, alimentação, transporte, material didáctico e livros) nos países de acolhimento.

“Complementarmente, os bolseiros seleccionados receberão um subsídio anual de mil dólares norte-americanos, para o nível de doutoramento, e de quinhentos dólares norte-americanos, para o nível de mestrado, para o desenvolvimento da investigação científica e participação em eventos científicos e para apresentação dos resultados da investigação. O pagamento referente à inscrição, matrícula e propinas será feito directamente à instituição de ensino”, é explicado no decreto assinado pelo Presidente da República.

Podem participar neste Programa licenciados angolanos a residir no Pais, com mérito académico, e aqueles que estejam no estrangeiro a frequentar cursos de pós-graduação em Instituições de Ensino Superior de referência, de acordo com a posição nos rankings de natureza científica, resultantes de avaliações independentes, e que comprovem não ser beneficiários de bolsa de estudo do Governo Angolano.

Para participarem no Programa e concorrerem à bolsa de estudo de mérito, os candidatos devem preencher requisitos como possuir nacionalidade angolana, ter até 30 anos, para o mestrado e, até 35 anos, para o doutoramento, ter licenciatura completa, tratando-se de candidatura para o mestrado, e mestrado completo, tratando-se de candidatura para o doutoramento, ter média igual ou superior a 16 nos níveis precedentes (licenciatura e mestrado), ter a situação militar regularizada, no caso dos candidatos do sexo masculino.

O ministério publicará, no dia 1 de Agosto, um edital com os requisitos para as candidaturas. (Novo Jornal)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close