Política

UNITA pede ao governo para mediar indemnizações

O secretário provincial da UNITA na Lunda-Norte, Domingos Oliveira, pediu a intervenção do Governo para garantir o pagamento das indemnizações aos trabalhadores das empresas mineiras que declararam falência.

Segundo Domingos Oliveira, também deputado à Assembleia Nacional, algumas empresas de exploração de diamantes sedeadas na Lunda-Norte, que entretanto entraram em falência, continuam sem honrar os compromissos assumidos com os trabalhadores para o pagamento das respectivas indemnizações.
O dirigente da UNITA justificou a necessidade de intervenção do Estado pelo facto de a situação estar a colocar em causa a estabilidade social de muitas famílias.

Domingos Oliveira apelou ao governo provincial a solucionar os problemas da falta de medicamentos nos hospitais locais , água potável e outros bens essenciais para a população.
O político, que falava num encontro com militantes, no Dundo, mostrou-se preocupado com o que considera “atrasos significativos” na implementação de acções de impacto social , sobretudo o estancamento de ravinas e melhoria do saneamento básico. “A progressão das ravinas em todo o território da província da Lunda-Norte é preocupante, uma vez que os efeitos já se fazem sentir, com o arrasamento de algumas infra-estruturas importantes para o desenvolvimento dos municípios”, disse, citando como exemplo o sistema de captação, tratamento e distribuição de água do Cazunda, no Dundo, com capacidade de 2.800 metros cúbicos/dia, cujo acesso ficou cortado por uma ravina e a conduta de água está na iminência de ser engolida.

O secretário provincial da UNITA declarou que a captação do Cazunda , uma importante infra-estrutura de abastecimento de água potável ao Dundo, está inoperante e neste momento uma parte considerável da população do Dundo está privada do precioso líquido.

Os programas que visam a contenção das ravinas, disse, dependem do Ministério da Construção e Obras Públicas. A demora na mobilização e disponibilização de recursos financeiros por parte das estruturas centrais, para a contenção de ravinas, frisou, cria muitos constrangimentos aos governos provinciais.
Domingos Oliveira disse estar também preocupado com a degradação das infra-estruturas sociais e económicas do Dundo, assim como a insuficiência do sistema de saneamento básico. (Jornal de Angola)

Por: Armando Sapalo | Dundo

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close