DestaquesPolítica

Tchizé dos Santos suspensa do MPLA por dois anos

Filha do ex-Presidente da República, José Eduardo dos Santos, é acusada de violação dos princípos básicos dos Estatutos e do Código de Ética partidária.

O Bureau Político do MPLA aprovou, ontem, as sanções propostas pela Comissão de Disciplina e Auditoria de afastamento da qualidade de membro do Comité Central e suspensão, por um período de 24 meses, da situação de militante do MPLA de Welwitschia José dos Santos “Tchizé”, por violação dos princípios básicos dos Estatutos e do Código de Ética partidária.

A deliberação foi tomada na 4a sessão ordinária do órgão de cúpula, realizada ontem, sob orientação do presidente do partido, João Lourenço.

No mês passado, “Tchizé” dos Santos perdeu o mandato de deputada na Assembleia Nacional, devido a ausências prolongadas e reiteradas nas reuniões plenárias. Ela está a residir no estrangeiro.

Em Junho deste ano, a também filha do ex-presidente do partido e da República, José Eduardo dos Santos, foi suspensa do Comité Central, por “conduta atentatória às regras de disciplina, dos Estatutos e do Código de Ética partidária”.

Em pronunciamentos públicos, a partir do estrangeiro, “Tchizé” dos Santos chegou a admitir que estava foragida do país por alegada perseguição política e que não voltava a Angola.

Medidas contra o crime

O Bureau Político do MPLA recomendou ontem aos órgãos de Defesa e Segurança a aplicarem as medidas adequadas à manutenção da ordem pública e da estabilidade social, em reacção aos casos de criminalidade registados nos últimos dias em Luanda.

Reunido na 4a sessão ordinária, sob orientação do presidente do partido, João Lourenço, o Bureau Político do MPLA apelou aos cidadãos a manterem a calma e a serenidade.

Na semana passada registou-se, em Luanda, uma onda de assassinatos, que visaram pessoas que saíam de agências bancárias, depois do levantamento de dinheiro. As notícias sobre esses crimes, que ocorreram em dias seguidos, espalharam-se rapidamente nas redes sociais e aumentaram o sentimento de insegurança na capital do país.

Na reunião de ontem, o Bureau Político do MPLA analisou a proposta do Orçamento Geral do Estado para 2020, aprovada na generalidade, pela Assembleia

O Bureau Político do MPLA analisou também a situação da seca que assola o Sul do país, sobretudo as províncias do Cunene, Namibe, Cuando Cubango e Huíla.

Nacional, na terça-feira. Segundo o comunicado de imprensa produzido no final da reunião, o Bureau Político congratulou-se com as medidas previstas no documento, que apontam, essencialmente, para a inver- são da trajectória da recessão económica, a consolidação fiscal e o reforço do sector produtivo não petrolífero, bem como a redução da dívida pública, a melhoria dos serviços de saúde e edu- cação e de outras necessidades sociais. A proposta de

OGE para 2020 comporta receitas e despesas estimadas em 15,9 biliões de kwanzas, que representa um cresci- mento de 53,5 por cento em relação ao OGE revisto do ano em curso. A proposta prevê um crescimento global positivo de 1,8 por cento com o sector não petrolífero a crescer 1,9 por cento.

Situação da seca

O BP do MPLA analisou, igualmente, a situação da seca que assola o Sul do país, sobretudo as províncias do Cunene, Cuando Cubango, Namibe e Huíla. Apreciou o Relatório Global sobre a Execução do Programa Emergencial, tendo reconhecido o esforço do Executivo e a onda de solidariedade desenvolvida pela sociedade civil para minimizar os efeitos da calamidade natural.

Foi aprovada a indicação de Archer Mangueira para o cargo de primeiro secretário provincial do MPLA no Namibe e de Manuel Carvalho da Costa, para o cargo de segundo secretário do Comité Provincial do MPLA em Malanje. Anuiu sobre a indicação de António Quino para as funções de director do Departamento de Informação e Propaganda do Comité Central.

O órgão de cúpula abordou também outras questões da vida interna do partido, destacando-se a aprovação da agenda e do programa de trabalho da II sessão Ordinária do Comité Central, a ter lugar no dia 29 de Novembro, a conferência extraordinária do MPLA na província do Namibe e a cessação do mandato de Carlos da Rocha Cruz, do cargo de primeiro secretário provincial do MPLA naquela província.

Sobre o Dia do Educador, que se assinala hoje, o MPLA manifestou apreço pelo “valoroso contributo que os professores e os agentes do sistema de educação e ensino têm prestado em prol do desenvolvimento de Angola”. (Jornal de Angola)

Por: Fonseca Bengui

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ver também

Close
Close