DestaquesGolfePolítica

Presidential Golf Day: Tacada de João Lourenço simboliza um impulso necessário ao Turismo

Ontem, pela manhã, o Presidente da República, João Lourenço, na qualidade de patrono do “Presidential Golf Day 2019”, primeiro evento no país, foi convidado a dar tacada inaugural do torneio.

Tudo a postos. Taco nas mãos, João Lourenço usou das técnicas da praxe, o famoso “swing”, para a primeira tacada. Mas a primeira tentativa não resultou. Convidados com telefones em punho, câmaras, fotógrafos e jornalistas aguçam a curiosidade. O Presidente parte para a segunda tacada. Desta vez, a tacada foi boa. O grito de satisfação não tardou, quer de João Lourenço, quer dos presentes.

Carregada de simbolismo, a tacada inicial simbolizou a necessidade que o país tem de dar impulso à indústria da paz: o turismo de sol e mar. À tacada do PR seguiu-se as do pequeno golfista Tsaone Madilola, da Primeira-Dama da República, Ana Dias Lourenço, da ministra do Turismo, Ângela Bragança e da ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula Sacramento. Estava aberto o torneio, realizado pela primeira vez em Angola, numa coordenação entre o Ministério do Turismo, o Jazz & Golf Africa e o World Turism Forum (WTF).

Com a participação de mais de 80 golfistas de diferentes nacionalidades, o evento disputou-se ontem e se pretende anual. Nesta primeira edição, esteve voltada para a promoção da imagem de Angola e para a atracção de investimento para o desenvolvimento do turismo de golfe. Após a primeira tacada, o Presidente da República inaugurou as Boxes de Cavalos e, de seguida, assistiu a uma partida de Pólo Equestre, modalidade que, à semelhança do golfe, dá os primeiros passos no país.

Nos Mangais, Barra do Kwanza, João Lourenço concedeu uma breve entrevista exclusiva à CNN Turca e uma outra à imprensa nacional. Ainda ontem, o Presidente recebeu em audiência o presidente do Fórum Mundial do Turismo, o turco Bulut Bagci, e o presidente do Jazz and Golf, Danilo Nhatumbo.

O campo de golfe dos Mangais, que absorveu um investimento de mais de 100 milhões de dólares, é de 18 buracos. Os promotores projectam para o futuro um campo com 36 buracos. Os campos para a prática deste desporto são, na sua essência, muito requintados e carregam sempre uma componente ecológica. O dos Mangais encaminha-se muito bem neste sentido, embora em construção. Um dos maiores investidores do projecto, Álvaro Sobrinho, considerou-o um dos melhores da África Austral, mas especialistas discordam, por

ainda não estar no “Top 10” de África. Ainda assim, muitos praticantes da modalidade o elogiam.

“O investimento é agora” O Presidente da República afirmou “que o momento para investimento em Angola é agora” e que os primeiros a chegar terão vantagens”.

Em declaração à imprensa, após a abertura do Presidential Golf Day, o Chefe de Estado justificou a afirmação com o facto de o país estar a rumar agora para um ambiente de negócios propício para que o investimento seja feito, principalmente por estarem criadas as condições.

“O investimento em Angola é agora, pois acabamos de criar o ambiente propício para que tal aconteça. O momento é agora e esta oportunidade não deve ser perdida. Os primeiros a chegar, com certeza, terão vantagens”, insistiu o Chefe de Estado.

Um exercício salutar de Golfe e um convite ao investimento estrangeiro para Angola (Foto: Nelson Malamba/Angop)

No que respeita à atracção de investidores, João Lourenço lembrou que “tem de se começar por alguma coisa” e apontou o evento dos Mangais como o pontapé de saída para que homens de negócios ligados ao Turismo desembarquem em Angola. Considera fundamental que não tardem em trazer o seu capital ao país, para os vários domínios da economia nacional, em particular para o turismo.

O Titular do Poder Executivo considerou este desporto um grande embaixador para atracção de investidores, particularmente, por estar mais ligado ao sector do Turismo.

“Se estivermos a falar de investimento na área do Turismo, sem sombras de dúvidas que o Golfe é aquele que está mais ligado ao Turismo. Eis a razão do apoio que damos ao evento Presidential Golf Day e o que deve decorrer na quinta-feira, 23, dia da abertura do Fórum Mundial do Turismo”, realçou.

Sobre o Projecto Okavango, o Presidente da República lembrou que se está a trabalhar com instituições internacionais para o seu arranque e reconheceu que os passos dados até agora não são ainda visíveis.

“Há de chegar o momento em que esta visibilidade vai acabar por surgir”, realçou João Lourenço, que não tem dúvidas de que Okavango virá a ser o principal projecto de Angola.

“Existem outros também importantes, mas pela sua dimensão e potencialidades, o Okavango acabará por ser o principal. Daí que estejamos a dar a devida importância”, disse. (Jornal de Angola)

Por: João Dias

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close