AngolaDestaquesEconomiaPolíticaRegiõesSociedade

Presidência aberta: João Lourenço interage com jovens e promete solução de problemas

Durante o encontro com o Presidente da República, sociedade civil destapou problemas sociais e o Chefe de Estado garantiu soluções a curto e médio prazo, como é o caso da Mediateca do Bié, a ser aberta a 11 de Novembro ou na quadra festiva

Tal como aconteceu em Mbanza Kongo e no Soyo, durante a visita à província do Zaire, em Julho, o Presidente da República, João Lourenço, voltou ontem a ter contacto directo com as preocupações dos jovens. Também num formato de “Presidência Aberta”, o Instituto Politécnico do Bié encheu-se de jovens preocupados com as questões de emprego, formação e investigação, acesso à habitação e crédito, bem como na celeridade das obras de reabilitação de estradas.

Os jovens sugeriram ainda o loteamento de terrenos infra-estruturados para a autoconstrução dirigida, face à incapacidade de muitos cumprirem o modelo de renda resolúvel nas centralidades.

O Presidente tomou boa nota da proposta, mas sublinhou que só as centralidades não respondem às necessidades habitacionais existentes, apelando ao envolvimento do sector privado para mitigar os problemas de habitação no país.

O encontro começou cerca das 13h00 e terminou perto das 15. Foram quase duas horas de um diálogo que pretendeu escrutinar problemas e buscar soluções. O representante do Conselho Nacional da Juventude no Bié pediu a institucionalização da Gala Jovem de Mérito, mas pediu o reequipamento dos centros de formação profissionais, por não responderem aos desafios actuais, bem como o fornecimento de kits para o fomento do auto-emprego.

O Presidente da República disse que a proposta de institucionalização da Gala Jovem de Mérito é de acolher, por entender que “a sociedade angolana não tem o hábito de premiar aqueles que se destacam nos mais diversos domínios”. “Esta é uma proposta que de imediato abraçamos”, afirmou.

Aos jovens, o Presidente João Lourenço lembrou ter visitado, recentemente, no Cazenga, em Luanda, dois centros de formação profissional. No caso particular do Bié, concordou que os equipamentos dos centros precisam de ser actualizados, para que se promova o auto-emprego.

Os jovens sugeriram ainda o loteamento de terrenos infra-estruturados para a auto-construção dirigida, face à incapacidade de muitos jovens cumprirem com o modelo de renda resolúvel nas centralidades.

O Presidente tomou boa nota da proposta, mas sublinhou que só as centralidades não respondem a necessidade habitacional existente, apelando ao envolvimento do investimento privado para mitigar um problema que vem preocupando a juventude. “Vamos ver se fazemos isso nas futuras centralidades.

Mas, não vai abranger só jovens, a sociedade em geral deve beneficiar”, defendeu. Os jovens, na voz da representante dos estudantes do Bié, Florença Costa, manifestaram preocupações quanto à conclusão do campus universitário e da mediateca, bem como a necessidade do aumento das quotas das bolsas internas e a instalação de laboratórios para aliar a teoria à prática.

Pedem, igualmente, o apetrechamento das bibliotecas, a instalação de pontos de internet para favorecer a pesquisa e a investigação, bem como a extensão de alguns cursos universitários para os municípios.

Mediateca do Bié

O Presidente da República salientou que a prioridade, tal como aconteceu com o Hospital do Cuemba, cujas obras ficaram paralisadas durante cinco anos, vai para todas aquelas que até hoje não tiveram conclusão. “Todas as obras iniciadas são para ser concluídas, com realce para os sectores da Saúde e Educação”, garantiu. Sobre a mediateca do Bié e as informações veiculadas nas redes sociais, João Lourenço lembrou que as obras estão concluídas, faltando apenas o respectivo apetrechamento que vai ser feito em breve.

Presidente João Lourenço falou sobre o processo de privatizações que visa o aumento de mais postos de emprego no país (Foto: José Cola/Edições Novembro)

O Presidente garantiu que a biblioteca deverá ser entregue a 11 de Novembro ou na quadra festiva. “Alguém colocou o Executivo numa situação embaraçosa. Estamos a investigar para responsabilizar.

Vamos apetrechar (a mediateca) para entregá-la a 11 de Novembro ou na pior das hipóteses, na quadra festiva”, prometeu João Lourenço, que garantiu, também, o apetrechamento das bibliotecas, para que sirvam os fins para os quais foram criadas.

O Titular do Poder Executivo prometeu, igualmente, a instalação de pontos de internet e de laboratórios, assim como a extensão de cursos universitários, por entender que este deve ir ao encontro das pessoas e não o contrário. Bié conta com poucos espaços para a prática de desportos.

O Presidente da República,  ao responder às inquietações da Associação Desportiva da província, prometeu corrigir o quadro, sublinhando que o Executivo terá de investir mais neste domínio, não só no Cuito mas também em outros municípios. “A juventude tem de estar ocupada a praticar desporto, a estudar ou a trabalhar”, defendeu.

Empreendedorismo

Aos jovens empreendedores que colocaram questões sobre a dificuldade no acesso ao crédito, implementação efectiva dos programas PAPE e Prodesi ou ainda a conclusão das obras do Pólo Industrial do Cunje, João Lourenço lembrou que todas as obras iniciadas devem ser concluídas e que com o fornecimento de energia de Laúca, a situação fica ainda mais facilitada.

Quanto ao papel da banca, prometeu continuar a trabalhar para que esta continue a desempenhar o seu papel fora de Luanda. Para o Chefe de Estado, a banca deve conseguir que as questões dos cidadãos colocadas localmente mereçam respostas locais e reais.

Sobre a dívida pública, o Presidente lembrou que ela continua a ser paga, embora seja necessário acelerar o processo. “Mas, a dívida tem vindo a ser paga”, assegurou. Com inúmeros problemas transversais, com realce para a construção definitiva de estradas Cuemba-Munhango, que faz ligação ao Moxico, numa altura em que não existe uma via alternativa ao caminho-de-ferro que ligue Cuito ao Luena, foi das questões mais colocadas em todos os encontros que o Presidente teve no Bié.

Quanto ao problema das  escolas e o fomento de emprego, o Presidente da República tomou boa nota e prometeu resolução. No caso particular do emprego, outro dos problemas mais levantados, lembrou que o Estado não pode continuar a ser a maior fonte de criação de emprego e que é preciso que o sector privado entre nesse processo.

João Lourenço referiu-se, com efeito, ao programa de privatizações que o Executivo pretende levar a cabo. O objectivo, disse, é que o privado assuma o seu papel e recupere o espaço que perdeu na economia nacional. “Os jovens, no futuro, vão trabalhar também para o privado. (Jornal De Angola)

Por: João Dias

João Lourenço homenageia mártires da guerra do Cuito

O Presidente da República, João Lourenço, homenageou, ontem, os mártires da luta de resistência do Cuito, ao depositar uma coroa de flores no monumento erguido aos mártires da guerra. Ao lado da Primeira Dama da República, Ana Dias Lourenço, o Chefe de Estado depositou no monumento uma coroa de flores naturais, rosas vermelhas e amarelas.

À saída, João Lourenço disse que o momento era de profunda reflexão. “O compromisso que assumimos é de tudo fazermos no sentido de que a história não se repita. O que passou, passou. Temos é de mobilizar o povo angolano para o desafio do desenvolvimento e do progresso”, afirmou João Lourenço.

O Titular do Poder Executivo considera que a cidade do Cuito deve ser reconhecida como a cidade do perdão. João Lourenço prometeu ponderar sobre a elevação do 28 de Junho, dia dos Mártires do Cuito, a feriado nacional. O Presidente fez essa promessa durante um encontro com jovens da província do Bié, no auditório da Escola Superior Politécnica.

No Cemitério Monumento dos Mártires do Cuito jazem cerca de sete mil restos mortais de vítimas do conflito armado que opôs as forças governamentais e as então forças armadas da UNITA, depois das eleições de 1992. Oferta da Primeira Dama À margem da visita de dois dias do Presidente da República à província do Bié, a Primeira Dama, Ana Dias Lourenço, ofertou vários kits de roupa de bebés às mulheres internadas no Centro Materno Infantil do Cuito.

Ontem, após assistir o parto de uma das parturientes, a Primeira Dama manteve uma curta conversa com a jovem mãe, Esperança Marta, que gerou um menino. Esperança Marta, que recebeu um dos kits das mãos de Ana Dias Lourenço, mostrou-se satisfeita com a surpresa.

“Sinto-me feliz por receber este brinde. Estas coisas vão me ajudar muito”, disse a mãe, que agora tem três filhos. A visita de Ana Dias Lourenço ao Centro Materno Infantil do Cuito inseriu-se na campanha “Nascer livre para brilhar”. A directora do centro, Savina Wanga, agradeceu pelos brindes e disse que até a data 1.226 crianças nasceram livres para brilhar. Neste período, foram testadas 2.765 mulheres grávidas de Janeiro a Setembro deste ano. (Jornal de Angola)

Por: João Constantino | Cuito

 

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close