DestaquesPolítica

PRA-JA: Chivukuvuku desmente financiamento de Isabel dos Santos

O PRA-JA ainda não está legalizado pelo Tribunal Constitucional, mas já surgiram suspeitas em relação ao financiamento do partido com alguns críticos a dizerem que foi Isabel dos Santos ajudar esta nova força política.

O Partido de Renascimento dos Angolanos – Juntos por Angola (PRA-JA), novo projeto político de Abel Chivukuvuku continua a gerar debate e polémica em Angola. Apesar de não estar ainda legalizado, muito já se se fala sobre o futuro partido. Lançado no passado dia 2 de agosto, o projeto já tem uma agenda bem definida.

“2019, o ano do PRA-JA, 2020, o PRA-JA nas eleições autárquicas, 2021 crescer e afirmar-se em todo país e 2022, alternativa para Angola”, referiu Chivukuvuku.

Polémicas à nascença

A polémica inicial relacionada com o PRA-JA é facto deste partido político ainda não estar legalizado, pois o Tribunal Constitucional ainda não deu o seu parecer em relação à constituição deste novo partido político.

Boletim de voto de 2012© Reuters Boletim de voto de 2012

Associa-se a isso, o facto de ter surgido informação segunda a qual Isabel dos Santos, empresária angolana e filha do ex-Presidente da República, José Eduardo dos Santos, teria financiado o partido. Entretanto, a informação já foi desmentida pelo próprio Abel Chivukuvuku num encontro mantido com jornalistas e fazedores de opinião no último fim-de-semana.

Então, quem financia o PRA-JA? Perguntam alguns cidadãos. O político Xavier Jaime, um dos futuros rostos da nova formação política angolana, diz que todas as despesas estão a ser cobertas pelos cidadãos envolvidos na sua criação.

“Não vale a pena alimentar a ideia de que a Isabel (dos Santos) é que está alimentar isso. Ela não deu nenhum tostão e não vai dar nenhum tostão até onde eu sei. Ninguém precisa do financiamento da Isabel no PRA-JA. Somos suficientemente capazes, o PRA-JA é suficientemente capaz para avançar com os seus projectos vivendo a custa dos seus poucos recursos”, esclareceu Xavier Jaime.

Nova vida

Abel Chivukuvuku foi destituído da Convergência Ampla de Salvação de Angola- Coligação Eleitoral- CASA-CE por suposta quebra de confiança. O político tenta agora surgir com uma nova força, que, ainda está em fase de recolha de assinaturas. Face a várias informações, Xavier Jaime sem citar nomes, diz que há segmentos da sociedade que conspiram contra a carreira política de Chivukuvuku.

“Tentar fazer uma ligação entre Isabel dos Santos, o seu suposto financiamento e o PRA-JA capitaneado hoje pelo Abel Chivukuvuku não esconde essa ideia maquiavélico de quererem atingir mortalmente, do ponto de vista político, o cidadão Abel Chivukuvuku”, afirmou Xavier Jaime.

Mas se a empresária Isabel dos Santos quiser fazer parte do projecto, perguntou a DW África, Xavier Jaime foi peremptório.

“Aqueles que quiserem entrar, ao abrigo dos próprios estatutos do PRA-JA, da própria lei dos partidos políticos e da Constituição da República não terão absolutamente nenhum impedimento”, respondeu Xavier Jaime.

Os seguidores de Abel Chivukuvuku dizem que as informações como a que dá conta de que a empresária angolana Isabel dos Santos teria financiado o novo partido é uma das manifestações de conspiração contra o político. (MSN)

Por: Manuel Luamba

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close