DestaquesEconomiaPolítica

Petrolífera italiana ENI investe dez milhões em projectos sociais

O presidente da petrolífera italiana ENI, Claudi Descalz, assegurou ontem, em Luanda, que a companhia vai apostar no desenvolvimento de projectos sociais na província de Cabinda, com um investimento estimado em dez milhões de dólares.

Falando à imprensa no termo de uma audiência que lhe foi concedida pelo Presidente da República, João Lourenço, no Palácio Presidencial da Cidade Alta, o presidente do Conselho de Administração da ENI afirmou que, por enquanto, os projectos precisam ser submetidos à aprovação, numa altura em que a companhia já deu início a alguns programas no sector da Saúde e saneamento.

“É a primeira vez que falamos deste assunto com o Presidente da República e, depois disso, teremos de discutir e apresentar os projectos à comunidade local”, realçou.
Outro aspecto abordado com o Presidente da República, segundo o gestor, foi a questão do acesso à energia produzida através de fontes renováveis. “É um projecto que já estamos a realizar no Sul de Angola e que pretendemos levar para o Norte, especificamente para Cabinda, e para o litoral, em Luanda”, anunciou Claudi Descalz.

Campo Agogo em Dezembro

Relativamente aos níveis de produção, o presidente da ENI sublinhou que a petrolífera deve elevá-los, em breve, para a cifra dos dois mil milhões de barris, com a exploração do Bloco 15, onde foram perfurados oito poços. Destes, foi possível fazer uma projecção da produção de dois mil milhões de barris, no futuro. “Trouxe uma boa nova. Esta boa nova tem a ver com a descoberta feita, em Março, do campo Agogo, cuja produção começa em Dezembro, um campo super gigante”, disse o presidente da petrolífera, lembrando que está em fase de avaliação.

Para Claudi Descalz, o campo Agogo poderá trazer uma capacidade adicional de produção de petróleo e gás em Angola. Além deste, foram também objecto de abordagem alguns projectos específicos do sector de Óleo e Gás, com destaque para o projecto Cabinda Norte, onde começou a primeira sonda e actividades de perfurações no Bloco 1/14, já em fase de exploração. “Vamos ver se conseguimos atingir já este nível de produção nos próximos meses, isto é, ainda no início de 2020”, disse.

Durante a audiência de quase uma hora, o Presidente João Lourenço e Claudi Descalz abordaram questões ligadas ao investimento da ENI no país. “Com o Presidente da República abordamos vários pontos importantes. Somos grandes investidores e temos feito grandes investimentos no sector de Óleo e Gás (…)”, realçou. (Jornal de Angola)

Por: João Dias

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close