DestaquesPolítica

João Lourenço lamenta detenção de jornalistas

João Lourenço lamentou a detenção, na manifestação de sábado, de jornalistas que se encontravam devidamente credenciados e no pleno exercício das suas funções. Disse tratar-se de um acto que espera “não voltar a acontecer” .

Lembrou que num Estado de Direito e Democrático, os cidadãos têm o direito de reunião e de manifestação, de se divertir e  gozar da livre circulação pelo território nacional.

João Lourenço sublinhou que face à grave ameaça de propagação e de contaminação em massa da pandemia da Covid-19, as autoridades competentes decidiram pelo confinamento, em casa, pela cerca sanitária de um determinado aglomerado populacional, interdição das praias e da frequência ou mesmo encerramento de bares, restaurantes, cinemas, entre outros locais.
“No interesse do bem comum de toda uma comunidade e dá Nação, é um sacrifício que todos temos o dever cívico de consentir”, defendeu.

O Presidente João Lourenço adiantou que as medidas constantes nos Decretos Presidenciais, quer no quadro do Estado de Emergência, quer no de Calamidade Pública, podem ser alterados a qualquer momento, em função da evolução da pandemia.
Lembrou que algumas das grandes nações da América, Europa e de outros quadrantes, começaram já a declarar, publicamente, que perderam o controlo da pandemia, facto que, sublinhou, só vem provar o quão séria é a ameaça da Covid-19.

“Não pretendemos ser melhor que ninguém. Não se trata de uma competição, mas se cada país procurar fazer o melhor que pode, no sentido de conter, no máximo, a propagação da pandemia, esse esforço será a sua contribuição para a erradicação da pandemia à escala mundial”, salientou.
João Lourenço disse ser “necessário que se faça tudo para que o país não venha, um dia, a fazer uma declaração de incapacidade ou, pelo menos, procurar adiar o mais possível esse dia”, que desejou não acontecer nunca.
Lembrou que, no país, já foram realizadas manifestações pacíficas de protesto ou de reivindicação de direito. (Angop)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker