Política

Executivo faz cadastro do estado das estradas

O Executivo vai fazer ao longo deste ano um levantamento global e urgente de todas as estradas reabilitadas recentemente para caracterizar a sua situação actual, anunciou ontem, em comunicado, o Ministério da Construção e Obras Públicas.

O objectivo, de acordo com as conclusões do I Conselho Consultivo de 2018 do Ministério da Construção e Obras Públicas realizada na cidade do Soyo sob o lema “Dinamizemos a cultura da manutenção e conservação de infra-estruturas públicas”, é conhecer a estrutura da malha rodoviária nacional e calcular o tempo de vida útil dos pavimentos feitos.

A instituição pretende, com o levantamento, tomar “medidas urgentes e necessárias” para a conservação das estradas do país com o propósito de evitar danos maiores aos troços existentes. Para o efeito, segundo o co-municado final do encontro, cabe ao Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA) executar a referida tarefa nos termos do plano de acção da instituição, com a participação do Laboratório de En-genharia de Angola (LEA) e do Instituto Nacional das Obras Públicas (INOP), promovendo a realização de serviços mínimos.

O Ministério da Construção e Obras Públicas anunciou a contratação de empresas de grande dimensão a partir do próximo ano e até 2022 para a execução de trabalhos de conservação de cerca de 500 quilómetros de extensão de troços em diferentes regiões. De acordo com o comunicado, estas empresas devem subcontratar outras de pequena e média dimensão para a execução dos trabalhos.

Em relação às novas infra-estruturas públicas, o Laboratório de Engenharia de Angola (LEA) deve exercer um papel preponderante no domínio da certificação e avaliação de obras a executar, bem como aferir a qualidade dos materiais a serem aplicados, com vista a melhorar a qualidade técnica de projectos de en-genharia, nomeadamente em estradas, pontes, edifícios e aumentar a confiança nos prazos e no orçamento de obras realizadas em parceria entre o sector público e o privado.

O objectivo é garantir mais racionalidade na aplicação de recursos financeiros, ampliar e fortalecer a relação entre o Estado e a iniciativa privada, gerando mais crescimento para o país.

Qualidade de projectos
O ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, ao proceder ao cerramento do encontro, disse que doravante se vai investir na qualidade dos projectos de construção civil e no material a aplicar, para que as novas estradas sejam feitas com padrão internacionalmente exigido no sentido de garantir sua durabilidade.

Combate às ravinas
Segundo o ministro, o surgimento de muitas ravinas um pouco por todo país re-sulta da falta de limpeza dos sistemas de drenagem cujas consequências resumem-se à destruição de grandes troços de estradas já reabilitadas.

“Houve ravinas que surgiram por falta de limpeza dos sistemas de drenagem. Vê-se um pouco por todo país que as valetas das passagens hidráulicas e dos canais estão assoreados com terra ou com lixo”, disse Manuel Tavares de Almeida para acrescentar: “Saímos da esfera de engenharia e passamos para a esfera de saneamento, da limpeza que é preciso que as direcções provinciais de Obras Públicas e do INEA em cada província faça e cumpra o seu papel junto dos governos provinciais para que  as limpezas dos sistemas de drenagem sejam feitas, para não causar danos maiores às estradas”, disse o ministro.

Equipamentos
Os municípios vão receber em breve equipamentos para a manutenção e conservação de estradas asfaltadas. De acordo com o ministro, o equipamento deve servir ainda para abrir novas estradas de terraplanadas.
O objectivo é melhorar a circulação de pessoas e bens em condições aceitáveis, segundo Manuel Tavares de Almeida. “Vamos atender à preocupação de quase todos os municípios, consubstanciada no fornecimento de kits para que os municípios e governos provinciais”, disse. (Jornal de Angola)

Por: Jaquelino Figueiredo | Soyo

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ver também

Close
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker