ÁfricaDestaquesEconomiaPolítica

A Semana em palavras. O país e o continente no olho clínico de África Monitor

Um resumo da nova edição para assinantes

Irritação – Já indisfarçável da África do Sul com desdobramento de tropas ruandesas em Cabo Delgado, antes de militares da SADC. A ouvir as irritadas declarações da ministra da Defesa sul-africana, Nosiviwe Mapisa-Nqakula. Mais sobre o jogo diplomático e situação no terreno, no AM Intelligence.

Fragilidade – Da Marinha de Guerra de Angola, “parente pobre” entre os 3 ramos das FAA. E o país cada vez mais exposto a actos de pirataria marítima e exploração desenfreada – destrutiva mesmo – de recursos naturais. Além de limitar as capacidades de Luanda como parceiro regional, militarmente ainda sob influência da Rússia, Cuba, China e outras ditaduras. Mesmo com nova liderança do EMGFA a caminho, poucas são as perspectivas de mudança. A ler no AM Intelligence.

Irrelevância – Da CPLP, em vésperas de mais uma soporífera cimeira para “cumprir calendárioª. Com as evidentes tensões entre João Lourenço e as presidências da Guiné-Bissau e Brasil a traduzirem-se numa sub-representação destes dois países. Segundo Angola, está tudo dentro da normalidade, e é preciso mais “cooperação económica”. Internamente, a organização é já um caso de polícia (e tribunais). Nos próximos dias dedicaremos um especial AM ao assunto. 

Reconhecimento – Do “Príncipe do Congo”, mais recente livro de Xavier de Figueiredo, do Africa MonitorÉ leitura recomendada do novo Plano Nacional de Leitura, em Portugal.

Lançamento – Do novo AM Africa Report, sobre Cabo Delgado. Baseado nos arquivos históricos Africa Monitor, desde 1985, e em 5 anos de pesquisa e análise sobre o actual conflito, sua envolvente local, política e regional. Mais pormenores abaixo. (AM)

Angola: “Kamorteiro” de novo na corrida para CEMGFA

O Gen GERALDO ABREU “KAMORTEIRO” é agora apresentado como o mais provável substituto do actual CEMGFA, Gen ANTÓNIO EGÍDIO SANTOS “DISCIPLINA”.
Devido à sua condição de oriundo das antigas FALA (braço armado da UNITA) a nomeação de tenderá a constituir uma demonstração de confiança e/ou boa vontade do regime no que toca às suas políticas de reconciliação – um efeito tendente a beneficiá-lo na sua disputa eleitoral com a UNITA. LER MAIS

      

Angola: Ilibado nos EUA, Lourenço Procura Relançar Interesse Económico

Angola: Ilibado nos EUA, Lourenço Procura Relançar Interesse Económico

JOÃO LOURENÇO tem aproveitado contactos com entidades norte-americanas, incluindo a embaixadora em Luanda, para se manifestar “determinado” a prosseguir com as suas políticas de combate à corrupção, bem como a levar por diante outras reformas que no seu entendimento ajudarão a promover o desenvolvimento económico e social do país.
O tema foi igualmente introduzido por JL na sua recente reunião com a embaixadora norte-americana na ONU, LINDA THOMAS-GREENFIELD. O encontro, ocorrido por ocasião da sua deslocação a Nova Iorque, substituiu um outro, com o secretário de Estado, previamente solicitado por JL, mas inviabilizado por impedimento do mesmo.

Angola: “Kamorteiro” de novo na corrida para CEMGFA

O General GERALDO ABREU “KAMORTEIRO” é agora apresentado como o mais provável substituto do actual CEMGFA, Gen ANTÓNIO EGÍDIO SANTOS “DISCIPLINA”.
Devido à sua condição de oriundo das antigas FALA (braço armado da UNITA) a nomeação de tenderá a constituir uma demonstração de confiança e/ou boa vontade do regime no que toca às suas políticas de reconciliação – um efeito tendente a beneficiá-lo na sua disputa eleitoral com a UNITA.

Moçambique: MDM em Transição e Clivagens Crescentes com RENAMO

As posições internas relativamente a possíveis candidatos só deverão ocorrer após a aprovação do perfil do candidato pela Comissão Política do partido, o que deverá ocorrer em Agosto.

Moçambique: Bloqueio no Terreno Abre Espaço a Intervenção Externa

A relutância da FRELIMO em aceitar a assistência militar externa levou à beira do esgotamento a capacidade operacional das Forças de Defesa e Segurança (FDS) no Teatro Operacional Norte (TON), de Cabo Delgado. Logo a seguir ao grande ataque de 24.MAR à vila-sede de Palma, os comandantes militares emitiram um parecer dirigido ao comandante-em-chefe e PR FILIPE NYUSI (FN), no qual referiam que era inevitável a assistência militar para travar a expansão dos insurgentes, que iria crescer com o fim do contrato e a retirada da empresa militar privada Dyck Advisory Group do terreno (AM 1296). FN era favorável ao parecer militar, mas teve veto de alguns círculos conservadores da FRELIMO (AM 1297).
Nos três meses que se seguiram ao ataque de Palma, as FDS foram recuando aos seus redutos/bases por pressão dos grupos armados insurgentes de inspiração islâmica. Os militares limitaram-se a defender as suas bases dos ataques conduzidos pelos insurgentes e a realizar alguns bombardeamentos aéreos esporádicos em locais identificados como bases ou esconderijos de insurgentes, mas sem o correspondente desdobramento em terra para a captura dos combatentes.

Moçambique: FRELIMO “Seca” Sector Empresarial do Estado

A empresa de consultoria Intellica terá um papel-chave no processo de saneamento do sector público empresarial, depois de escolhida para definir as empresas a vender ou liquidar, por avaliação do IGEPE, mal sustentada e refém de interesses partidários. Fazem parte do lote prioritário para venda ou liquidação a Silos e Terminal Graneleiro da Matola (STEMA) – sob dependência de CELSO CORREIA, actual ministro e braço-direito de FILIPE NYUSI – a Empresa Moçambicana de Seguros (EMOSE), a DOMUS (Sociedade Gestão Imobiliária) e a CdM.

São Tomé e Príncipe: Delfim Neves à Frente no “Banho”

Delfim Neves, candidato às presidenciais de S. Tomé e Príncipe (Foto: D.R.)

DELFIM NEVES (DN) é o candidato cuja campanha denota, na actual fase, estar apoiada em mais fartos meios financeiros.
A campanha de CARLOS VILA NOVA, (CVN) candidato apresentado pela ADI, deixa igualmente transparecer a existência de folgados meios financeiros, traduzidos na vitalidade e animação da sua campanha. É corrente que o dinheiro de que a sua candidatura dispõe terá sido captado por PT entre governos e empresas estrangeiras junto dos quais goza de aceitação.

Guiné-Bissau: Gabriel Obiang Lima e Árabes no Desenvolvimento do Petróleo

Gabriel Obiang Lima, ministro das Minas e Petróleos da Guiné Equatorial e filho da segunda mulher do presidente Teodoro Obiang Nguema Basogo (Foto: D.R.)

O projecto estima a existência de reservas de crude equivalentes a 3.000 milhões de barris e uma produção de 17 milhões de barris/ ano. O acordo foi firmado no Dubai na presença de ORLANDO VIEGAS, ministro dos Recursos Naturais e Energia e vice-presidente do partido PRS, de representantes da SH e, discretamente, de GABRIEL OBIANG LIMA (GOL), ministro das Minas e Hidrocarbonetos da Guiné Equatorial. (África Monitor)

(Para ler mais deve obter assinatura)

Patricia Dias
[email protected]
+351 93 630 71 83

 

Tags
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker