AngolaDestaquesHabitaçãoRegiões

Rei do Bailundo enaltece imponência da centralidade de Halavala

O rei do Bailundo, na província angolana do Huambo, Tchongolola Tchongoma, enalteceu esta sexta feira a imponência da centralidade habitacional Halavala, com três mil e cinco apartamentos, erguida no seu reino.

O soberano disse que o empreendimento, inaugurado hoje pelo Presidente da República, João Lourenço, vem responder ao sonho da casa própria, principalmente, para a juventude.

Afirmou que a centralidade dignifica a população do Bailundo, com destaque para a camada juvenil, reconhecendo que o empreendimento representa o grande esforço do Executivo angolana na melhoria das condições habitacionais no país.

Noutra vertente, o rei do Bailundo apelou à participação cívica dos cidadãos nas eleições gerais previstas para Agosto próximo, almejando que o pleito eleitoral se transforme na verdadeira “magia da democracia”.

Caracterização da centralidade Halavala

O projecto habitacional é o terceiro na província do Huambo, depois do Lossambo, inaugurado em 2017, com 2009 moradias, ocupadas por mais de 14 mil pessoas, e Fernando Faustino Muteka, à disposição desde 2020, no município da Caála, com 4001 residências e uma previsão para albergar 28 mil moradores.

A centralidade ora inaugurada integra prédios de quatro pisos, com oito (8) apartamentos cada, e moradias de um e dois pisos, todas da tipologia T3, ocupando uma área de aproximadamente 100 metros quadrado, perfazendo um total de 3005 unidades habitacionais e 210 lojas.

Do total das residências, constam dois mil 602 apartamentos, 128 moradias térreas e 275 duplex, todas da tipologia T3.

A urbanização engloba infra-estruturas internas, redes viárias, passeios, iluminação pública, rede de abastecimento de água e de distribuição de energia eléctrica,  quadras desportivas, ginásios de exterior e parques infantis.

Constam entre os equipamentos sociais, dois centros infantis, igual número de jardins-de-infância de 9 salas, também uma escola primária de 24 salas, outra secundária de 12 salas, instituto politécnico, posto de polícia e um centro de saúde com 25 camas.

A designação da centralidade por Halavala surge em alusão ao monte homónimo, principal referencial geográfica da localidade, que viria a dar nome ao primeiro bairro da vila municipal do Bailundo, nos meados do século XV.

A circunscrição, que alberga o “poderoso reino da tribo Ovimbundu”, fundado no século XV, então designado por Halavala, cujo potencial é do conhecimento nacional e internacional, ascendeu à categoria da vila a 16 de Julho de 1902 através do decreto-lei nº 54 do Boletim Oficial nº1.

Chamada por muitos como terra do Rei Ekuikui e Katyavala, a municipalidade, com uma extensão de sete mil e 065 quilómetros quadrados, possui uma população estimada em 372 mil habitantes, distribuídos em 70 povoações comerciais e 568 bairros e aldeias que compreendem as suas cinco comunas: Hengue, Lunje, Bimbe, Luvemba e Sede. (ANGOP)

Tags
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker