AngolaDestaquesRegiões

Criado Conselho Nacional do Poder Tradicional de Angola

O Conselho Nacional das Autoridades do Poder Tradicional de Angola (CNAPTA) foi constituído sexta-feira, no município do Seles, província do Cuanza Sul, com o objectivo de unir a classe e promover o desenvolvimento económico e social desta franja da sociedade.

De acordo com os seus estatutos, o CNAPTA visa igualmente harmonizar as relações de cooperação entre a instituição e os órgãos do Estado e outros parceiros, assim como trabalhar na constituição e legalização de cooperativas em benefício dos membros e seus familiares.

Não ocasião, o soba grande do Seles, Miguel Matias Filipe, foi eleito presidente de direcção da organização, com 131 votos a favor (99,24 por cento), nenhum contra e  uma abstenção, para um mandato de cinco anos (2022/2027).

Fazem igualmente parte do conselho de direcção os reis das províncias do Huambo, Artur Maço, e do Cuando Cubango, Manuel Dala (vice-presidentes), assim como os sobas grandes de Luanda, João Adão (secretário), e da Quissama, Paulo António (finanças).

O Rei da Lunda, José Estevão Muachisengue, foi eleito presidente da mesa da assembleia-geral.

Ao intervir no acto, o presidente eleito, Miguel Matias Filipe, agradeceu a confiança a si depositada, sublinhando que a constituição do CNAPTA abre portas para a união das autoridades tradicionais, no sentido de dar força e mais dignidade ao poder tradicional.

“Só unidos somos capazes de receber apoios, contribuições materiais e imateriais para a prossecução dos nossos objectivos”, salientou.

Garantiu que a instituição pretender ser parceira do Estado na promoção dos valores morais, culturais e cívicos perante as comunidades.

O acto contou com a participação de mais de 130 sobas e seculos oriundos das 18 províncias do país e foi presenciado pela administradora municipal do Seles, Elsa Sara Lialunga, entre outras entidades. (ANGOP)

Tags
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker