Coronavírus-Covid19DestaquesMinistériosSaúdeServiços

Angola confirma 4º caso positivo da Covid-19

O país conheceu ontem, o resultado das sete análises de Covid-19, realizadas pelo Instituto Nacional de Investigação em Saúde, cuja colecta foi feita a igual número de indivíduos que estiveram expostos ao contágio do vírus no exterior. Trata-se de uma mulher de 41 anos de idade que chegou a Luanda no dia 19 deste mês com passagem por Portugal, anunciou a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, em conferência de imprensa sobre o Estado de Emergência.

“Continuamos com o trabalho de processamento das amostras, porque tivemos de agregar mais amostras fruto do trabalho de campo que se está a realizar e, sobretudo, a busca activa com os contactos”, disse a ministra Sílvia Lutucuta. Antes, durante a apresentação diária do ponto da situação da evolução da pandemia do novo Coronavírus Covid-19 no país, em África e no mundo, no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, o secretário de Estado da Saúde, Franco Mufinda, fez saber que ontem receberam cerca de 30 chamadas telefónicas e foram notificados 20 casos.

Por essa razão, o número dos contactos aumentou, as pessoas controladas nos pontos criados (quarentena institucional) passou de 460 a 526 pessoas, com a entrada das pessoas que através de denúncias da população, e, de forma compulsiva, vão cumprindo a quarentena institucional. “Temos 12 pessoas isoladas, neste momento, e foi decretado o Estado de Emergência pelo Presidente da República.

Isso epidemiologicamente nos vai ajudar a controlar a contenção dos casos e o que se pede é que haja pouca exposição das pessoas, reduzindo assim o risco de contaminação”, disse. Entretanto, a Comissão Ministerial recebeu, ontem, uma doação das Fundações Alibaba e Jack Ma cerca de 100 mil máscaras, 20 mil testes de Covid-19 e 1000 fatos de protecção individual de segurança nível três.

O secretário do Estado para a Saúde Pública disse que continuam a formar as equipas de segurança epidemiológica com a inclusão de agentes da Polícia Nacional, e a tornar mais funcional o CISP, onde está a operar o INEMA. Igualmente estão a aprimorar cada vez mais a aproximação à população com as ligações através do número 111. Último caso confirmado junta-se aos três já existentes desde o dia 22 deste mês Franco Mufinda voltou a apelar a comparticipação da população no intuito de evitar circular desnecessariamente para não se submeter ao risco de contaminação.

Por outro lado, disse que continuam com a vigilância dos condomínios onde surgiram os dois primeiros casos e controlam todas as pessoas. “Havemos de despoletar uma medida que visa o rastreio das pessoas todas que ali vivem.

Outra medida é, justamente, a feitura do rastreio de testes das pouco mais de 500 pessoas que estão aglomeradas e estão a cumprir, de forma obrigatória, a quarentena. Os pontos são Calumbo I e II e os hotéis já conhecidos”, frisou. Ao nível mundial, até ontem, foram notificados mais de 400 mil casos confirmados com óbitos que passaram de 18 mil casos. E em África mais de mil 600 casos com 29 óbitos foram reportados. “Em Angola os três casos confirmados até ao dia 23 e estão internados e estáveis clinicamente”, garantiu Franco Mufinda. (O País)

Por: Maria Teixeira

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker