CulturaNacional

Lista B às eleições na UNAC-SA promete interpor providência cautelar

Luanda - A candidatura da lista B, liderada pelo músico Belmiro Carlos, avançou nesta quarta-feira a intenção de interpor uma providência cautelar no Tribunal Provincial de Luanda caso a Comissão Eleitoral Nacional (CEN) não corrija as irregularidades registadas nos cadernos da população votante para o pleito de 17 deste mês.

Em reacção ao anúncio da CEN sobre o recurso apresentado pela lista B, Belmiro Carlos, avançou que foi dada, através de um novo recurso, um período de 24 horas para se corrigir as irregularidades detectadas nos cadernos das províncias de Luanda, Benguela, Malanje, Huambo e Cabinda.

O artista considera não serem reais os números da população votante apresentados nos cadernos eleitorais das localidades em causa, reafirmando que Cabinda tem 134 eleitores em condição de votar e não os 101 aprovados, Malanje com 234 (ao contrário dos 42 anunciados), Benguela com 264 (134 registados pela CEN) e no Huambo devem votar 591 eleitores contra os 101 registados no caderno eleitoral.

O candidato da lista B avança que, estando em risco os direitos adquiridos dos artistas ao nível das províncias de Cabinda, Malanje, Huambo e Benguela, que tendo se colocado na condição de população votante com o pagamento de quotas, nos termos estatutários, estão reunidos os requisitos para intentar uma providência cautelar não especificada, que possa prevenir a lisura do processo eleitoral.

Relativamente a Luanda, Belmiro Carlos afirmou que a CEN recusou a proposta apresentada para a verificação conjunta do ficheiro físico eleitoral e por ter concluída que não foram constatadas nenhumas irregularidades.

“Ninguém sabe como e porquê encerraram os números. O caderno eleitoral de Luanda não foi escrutinado como solicitamos, uma vez que todos conhecem as irregularidades detectadas”, reforçou.

Em conferência de imprensa, o presidente da CEN, António de Oliveira “Delón”, para além de apresentar os dados definitivos da população votante, apelou aos intervenientes a pautarem por acções de civismo,  democráticas, não recorrendo a discursos musculados e agressivos, de forma a que às  eleições sejam um exemplo para as outras associações.

A UNAC-SA é uma associação sociocultural e profissional, proclamada há 29 anos, que congrega compositores, músicos, teatristas, coreógrafos e bailarinos.

A organização com mais de seis mil membros tem por finalidade a dinamização da dança, teatro e música, assim como a luta pela inserção profissional e consequentemente a afirmação social dos seus associados.

A UNAC-SA está representada nas províncias de Cabinda, Zaire, Malanje, Lunda Norte, Lunda Sul, Moxico, Cuanza Sul, Benguela, Huambo, Huíla e Cunene. (Angop)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Close