DestaquesEconomiaMoeda e BancosNacional

Correspondentes bancários do BAI transaccionam 800 milhões Kz por mês

Malange representa 20% do total das transacções dos correspondentes bancários. Só os correspondentes do BAI em Malange transacionam mais de 300 milhões Kz/mês.

Os correspondentes do Banco Angolano de Investimentos (BAI) espalhados por 14 províncias transaccionam, em média, 800 milhões Kz por mês.

O BAI conta com um total de 105 correspondentes que representam os interesses do banco nas localidades onde não conta com uma agência bancária. O Correspondente Bancário BAI é uma entidade que representa o banco na prestação de produtos e serviços bancários tais como abertura de conta, levantamentos e depósitos de dinheiro, transferências e acesso ao crédito.

“No ano em curso temos registado uma média de 800 milhões de Kwanzas transaccionados por mês, sendo que o valor médio por transacção é de 5.000 a 15.000 Kz”, avança em exclusivo ao Mercado a directora do Gabinete de Desenvolvimento de Novos Negócios do BAI, Helena Faria.

A responsável destaca que o maior número de transacções regista-se em Malange, muito por conta de ter sido também a primeira província a aderir ao correspondente bancário interno. A terra da Palanca Negra Gigante representa 20% daquilo que é a operacionalidade total dos correspondentes bancários. Só os correspondentes do BAI em Malange transacionam mais de 300 milhões Kz/mês.

“Em Malange as pessoas estão mais familiarizadas com os correspondentes bancários. Acreditam que entregar o seu dinheiro ao correspondente bancário é igualmente seguro que depositar numa agência bancária. Uma coisa é ir a uma agência bancária e outra é saber que no supermercado da esquina ao lado também posso efectuar um depósito. Esta tem sido a primeira resistência dos clientes ao nível nacional. Malange já tem o serviço há cinco anos, as pessoas já percebem o papel do correspondente bancário e já não existe desconfiança entre depositar dinheiro numa agência bancária ou no agente autorizado da ENDE, que ao mesmo tempo é correspondente bancário. Nas outras províncias ainda estamos num processo de aprendizagem”, explica Helena Faria.

Diferente do correspondente bancário internacional, que representa os interesses do banco além-fronteiras, o principal factor diferenciador entre uma agência bancária e um correspondente bancário interno tem a ver com o horário. As agências bancárias têm uma determinada hora para abrir e fechar, sendo que o correspondente bancário estabelece o seu próprio horário. Na maioria das vezes, tratando-se de um supermercado, por exemplo, só deixa de atender quando fecha a actividade comercial, que pode se estender até 22 horas. “Um correspondente bancário, antes de estabelecer o vínculo com o banco, já exerce uma actividade comercial”, sublinha a responsável que é quadro do BAI há 11 anos.

A questão dos preçários é outro factor diferenciador. As taxas e comissões cobradas pelos correspondentes bancários são ligeiramente mais baixos que as cobradas pelas agências bancárias.

“O objectivo de optarmos pelos correspondentes bancários é a inclusão financeira. Portanto, quem vem aderir, é livre de custos. Ou seja, se um cliente vai a uma agência bancária fazer um levantamento de um valor inferior a 50 mil Kz paga uma taxa de 500 Kz, já no correspondente bancário, também ao abrigo dos serviços mínimos definidos pelo BNA, o cliente faz a operação sem nenhum custo associado”, destaca.

Outra grande vantagem do correspondente bancário interno tem a ver com a exigência de documentos e valor mínimo para a abertura de uma conta no banco pela primeira vez. Se um cliente for abrir uma conta bancária na agência precisa ter o Número de Identificação Fiscal – NIF – e um valor que vai de 5.000 Kz a 20.000 Kz. Já no correspondente bancário o NIF não é obrigatório, uma vez que o objectivo primário é permitir que as pessoas entrem para o sistema bancário, e o valor de adesão é 250 Kz. Ou seja, primeiro é permitir as pessoas entrarem e depois cabe ao banco educar o cliente sobre como é que deve se posicionar no sistema bancário”, explica a responsável.

Helena Faria recorda que o correspondente do BAI permite aos clientes efectuarem operações como abertura de conta, depósitos e levantamentos em moeda nacional, transferências, depósitos para poupança, encaminhamento de pedido de crédito, remessas de valores e adesão ao cartão multicaixa.

Entretanto, nos casos de solicitação de crédito, o correspondente bancário identifica o potencial cliente, solicita a documentação necessária e encaminha para o banco para a devida avaliação, sendo que a autorização da concessão do crédito cabe ao banco. (Mercado)

Por: Quingila Hebo

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ver também

Close
Close