AnáliseConfrontos militaresDestaquesGuerra e PazMundo

Rússia adverte que a Europa “desaparecerá” num apocalipse nuclear se o Ocidente der mísseis à Ucrânia

A Rússia alertou que a Europa "desaparecerá" num apocalipse nuclear na mais recente ameaça do Kremlin à Ucrânia. Viacheslav Volodin, o chefe da Duma do Estado, atacou o ex-ministro das Relações Exteriores da Polónia, Radoslaw Sikorski, que admitiu o envio de mais armas ocidentais à sitiada Kiev.

Sikorski alegou que Vladimir Putin violou o Memorando de Budapeste sobre Garantias de Segurança de 1994, que justifica a entrega ocidental de armas nucleares.

Ele disse ao canal ucraniano Espreso TV que os suprimentos “dariam à Ucrânia a oportunidade de defender a sua independência”.

A Ucrânia concordou em desistir de todas as suas armas nucleares que sobraram da queda da União Soviética e aderiu ao Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares.

A Rússia alertou que a Europa "desaparecerá" em um apocalipse nuclear na mais recente ameaça apocalíptica do Kremlin de fornecer mísseis à Ucrânia. Na foto: o M270 Multiple Launch Rocket System do Exército Britânico dispara em exercícios da OTAN no mês passado

A Rússia alertou que a Europa “desaparecerá” num confronto nuclear, na mais recente ameaça apocalíptica do Kremlin de fornecer mísseis à Ucrânia. Na foto: o M270 Multiple Launch Rocket System do Exército Britânico disparando em exercícios da OTAN no mês passado

Viacheslav Volodin, o chefe da Duma do Estado, atacou e ameaçou o Ocidente com destruição

Viacheslav Volodin, o chefe da Duma do Estado, atacou e ameaçou o Ocidente com destruição

Volodin criticou os comentários, escrevendo no Telegram de acordo com o The Sun: ‘Com tais deputados, os europeus terão problemas muito mais sérios do que aqueles que já enfrentaram hoje (refugiados, inflação recorde, crise de energia).

‘Sikorski está a provocar um conflito nuclear no centro da Europa.

“Ele não pensa nem no futuro da Ucrânia nem no futuro da Polónia.

‘Caso as suas sugestões sejam cumpridas, esses países deixarão de existir, assim como a Europa.

“Sikorski e afins são a razão pela qual a Ucrânia não deve apenas ser libertada da ideologia nazista, mas também desmilitarizada, garantindo o status livre de armas nucleares do país.”

Sikorski alegou que Vladimir Putin violou o Memorando de Budapeste sobre Garantias de Segurança de 1994. Foto: Rússia testa o míssil hipersônico com capacidade nuclear Zircon

Sikorski alegou que Vladimir Putin violou o Memorando de Budapeste sobre Garantias de Segurança de 1994. Foto: Rússia testa o míssil hipersônico com capacidade nuclear Zircon

A Ucrânia tem pedido mais armamento, mas o Ocidente tem se mostrado relutante em meio aos alertas russos e à guerra de atrito no Donbas.

O país precisa de 1.000 obuses, 500 tanques e 1.000 drones, entre outras armas pesadas, disse o conselheiro presidencial Mykhailo Podolyak na segunda-feira.

Moscou divulgou o último de vários relatórios recentes dizendo que havia destruído armas e equipamentos americanos e europeus.

O Ministério da Defesa da Rússia disse que mísseis aéreos de alta precisão atingiram perto da estação ferroviária em Udachne, a noroeste de Donetsk, atingindo equipamentos que foram entregues às forças ucranianas.

O Ministério do Interior da Ucrânia no Telegram disse que Udachne foi atingido por um ataque russo durante a noite de domingo para segunda-feira, sem mencionar se as armas foram alvo.

Dmitry Medvedev alertou que os 'Cavaleiros do Apocalipse estão a caminho' no mais recente aviso de destruição do Kremlin

 Dmitry Medvedev alertou que os ‘Cavaleiros do Apocalipse estão a caminho’ no mais recente aviso de destruição do Kremlin

Moscovo criticou os Estados Unidos e outras nações por enviarem armas à Ucrânia e ameaçou atacar novos alvos se o Ocidente fornecer mísseis de longo alcance.

A última ameaça de Volodin vem depois de um dos principais aliados de Vladimir Putin  ter alertado que os ‘Cavaleiros do Apocalipse estão a caminho’.

Dmitry Medvedev, ex-presidente da Rússia, alertou que Moscovo atacaria cidades ocidentais se a Ucrânia usar mísseis fornecidos pelos EUA.

O membro do Kremlin, de 56 anos, actualmente actua como vice-chefe do conselho de segurança nacional da Rússia e actuou como presidente de 2008 a 2012, enquanto Putin tinha mandato limitado, embora permanecesse sob sua influência.

Ele escreveu na semana passada o seguinte: “Muitas vezes me perguntam por que é que as minhas postagens no Telegram são tão duras. A resposta é que eu os odeio. Eles são b*****ds e degenerados.

Teste da Rússia lançou o míssil balístico intercontinental Sarmat em abril em meio a ameaças de guerra nuclear

Teste da Rússia com o míssil balístico intercontinental Sarmat em Abril denunciando ameaças de guerra nuclear

‘Eles querem a morte para a Rússia. E enquanto eu estiver vivo, farei de tudo para que eles desapareçam.’

O ‘eles’ que Medvedev está se referindo é entendido como a Ucrânia e seus aliados.

Dias antes, ele disse que Moscovo intensificaria a sua guerra contra o Ocidente se mísseis fornecidos pelos EUA fossem usados ​​contra as forças russas, dizendo: “Os cavaleiros do Apocalipse já estão a caminho”.

Medvedev, que antes era visto como um modernizador e uma figura de proa mais liberal na Rússia, também acusou a Ucrânia de ser liderada por nazistas drogados.

No mês passado, ele alertou que o apoio militar à Ucrânia corre o risco de desencadear uma guerra nuclear com a Rússia.

Ele escreveu no Telegram: ‘Países da OTAN injectando armas na Ucrânia, treinando tropas para usar equipamentos ocidentais, enviando mercenários e os exercícios de países da aliança perto das nossas fronteiras aumentam a probabilidade de um conflito directo e aberto entre a OTAN e a Rússia.

“Tal conflito sempre corre o risco de se transformar numa guerra nuclear completa.” (Daily Mail)

Tags
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker