Ambiente

ONG britânica salva elefantes em Angola

Um projecto de investigação foi lançado, na segunda-feira, em Luanda, pela “Stop Ivory”, uma Organização Não-Governamental britânica contra o tráfico de marfim, para salvar a população de elefantes em Angola.

O projecto, avaliado em mais de 300 mil libras, vai ser executado em quatro anos, informou o presidente da ONG britânica Alexander Rhodes, durante a cerimónia de apresentação da iniciativa de protecção animal.
O valor, de acordo com Alexander  Rhodes, vai ser utilizado em actividades de investigação e na melhoria da capacidade de pesquisa da população de elefantes no país.

Alexander Rhodes acentuou que, durante muito tempo, o comércio de marfim foi um problema no país, tendo dado como exemplo o negócio que era feito à vista de todos no mercado do artesanato do Benfica, arredores da cidade de Luanda.

Alexander Rhodes lembrou que Angola já serviu como porta de entrada e saída de marfim do mercado internacional e declarou que “devemos todos trabalhar para banir o comércio ilegal de elefantes”.
O defensor dos direitos dos animais reconheceu que “Angola é um país muito importante para os elefantes e tem espaço enorme que pode servir de habitat para as futuras gerações dessa espécie animal”.

Na cerimónia de lançamento do projecto, o embaixador britânico em Angola, John Dennis, declarou que o projecto “é uma parte importante da abordagem do Governo britânico em Angola”.Já o director-geral do Instituto Nacional da Biodiversidade e Áreas de Conservação, Aristófanes Ponte, reconheceu que a iniciativa é de grande significado para Angola e junta-se aos programas já existentes de protecção das espécies ameaçadas e em vias de extinção.A protecção dos elefantes em Angola está mais reforçada desde 2016, ano em que foi declarado proibido o comércio de artigos em marfim. (Jornal de Angola)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker