Artes PlásticasCinemaCulturaDançaDestaquesDjsLiteratura

Mito Gaspar e Edmázia Mayembe actuam para saudar o 8 de Janeiro

No decorrer do acto central, actores e cantores exaltam, hoje, diversos valores culturais e artísticos num vasto programa do Dia da Cultura Nacional

O anfiteatro do Complexo das Escolas de Arte (CEARTE), em Luanda, alberga hoje um sarau cultural, às 11h00, com actuações de Mito Gaspar, Edmázia Mayembe, Toty Sa´Med e Constantino. O espectáculo faz parte do programa do 8 de Janeiro, Dia da Cultura Nacional.

A actividade inclui uma sessão de declamação de poesia com a escritora Ilda Lemos, e entrega de diplomas aos artistas, associações e instituições artísticas e culturais. Duas horas antes, acontece a cerimónia que marca o acto central, sob o lema “Pela Preservação e Valorização da Memória Histórica do Povo Angolano, Exaltemos a Cultura de Paz para a Paz na Cultura”, que inclui discurso da ministra da Cultura, Carolina Cerqueira.

De acordo com o programa de actividades, do Ministério da Cultura, antes da cerimónia, realiza-se, às 8h00, uma deposição de coroa de flores na estátua do Primeiro Presidente, António Agostinho Neto, no Largo 1º de Maio. Meia hora depois, vai ser realizada uma visita guiada à Biblioteca Nacional, onde vai ser inaugurada a exposição “Etnográfica”.

No CEARTE há, também, uma visita guiada à exposição fotográfica “Património Histórico Cultural, Conhecer Para Preservar”, montada pelo Instituto Nacional do Património Cultural (INPC) e Arquivo Nacional de Angola (ANA).

Edmásia Mayembe (Foto: D.R.)

Depois da visita guiada às 10h00, às instalações do CEARTE, a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, recebe os cumprimentos de Ano Novo, para de seguida serem proferidas mensagens dos trabalhadores do Ministério da Cultura, do representante dos produtores culturais e finalmente a da titular da pasta.

O grupo Horizonte Nzinga Mbande e o Ballet Nacional de Angola vão animar, também, o sarau, preenchendo as actividade do 8 de Janeiro, Dia da Cultura Nacional, instituído em 1986. M o n u m e n t o s h i s t ó r i co s Ao todo, 264 monumentos e sítios, conjuntos urbanos e zonas históricas estão classificados em todo o país, avançou sexta-feira, em Luanda, a directora do Instituto Nacional do Património Cultural.

De acordo com Cecília Gourgel, destes, apenas 96 bens estão identificados com placas de classificação. Na lista de espera da instituição, afecta ao Ministério da Cultura, estão 1.357 bens inventariados sob avaliação para efeitos de classificação nacional.

Cecília Gourgel , q ue falava durante uma sessão de formação de jornalistas culturais, adiantou que os monumentos e sítios classificados no país, tendo em conta que cumprem os requisitos do Comité do Património Mundial, isto é, possuem valores excepcionais para serem aceites como património mundial, foram incluídos na proposta do Executivo para a lista do Património Mundial.

Trata-se do sítio arqueológico do Tchitundu-Hulo (artes rupestres), Cuito Cuanavale (sítio de libertação e Independência) e a paisagem cultural do Corredor do Cuanza (percurso ao longo d a s p rov í n c i a s d o B i é , Malanje, Cuanza-Sul e Norte, Bengo e Luanda). Relativamente ao Delta de Okavango, a responsável avançou que a sua inclusão na lista indicativa resulta do facto de a Namíbia já o ter feito, visto que cobre os dois países.

Durante o encontro, além da directora do Instituto Nacional do Património Cultural, Cecília Gourgel, os directores do Instituto de Línguas Nacionais, José Pedro, e dos Direitos de Autor e Conexos, Barros Licença, passaram em revista questões atinentes aos projectos daquele departamento ministerial, tendo em conta os vários acontecimentos sobre as diversas temáticas da cultura e das políticas traçadas no Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022.

Festival em Setembro Um festival de música folclórica tchokwe denominado “Lutongo” é realizado em Setembro deste ano, na província da Lunda-Sul, numa iniciativa da Direcção Provincial da Cultura, Juventude e Desportos. A informação foi avançada à Angop, na cidade de Saurimo, pelo director da instituição, Gabriel Tchiema, tendo referido que o festival visa promover o resgate, valorização e divulgação da música folclórica tchokwe.

O responsável realçou que o festival tem ainda como objectivo alavancar a carreira dos fabricantes e executantes dos instrumentos tradicionais, que por falta de incentivos deixaram de dedicar-se à arte.

Gabriel Tchiema disse que, nesta primeira edição do festival, prevê-se a participação de um ou dois músicos internacionais, sem mencionar quais as suas nacionalidades. Fez saber que o festival terá periodicidade anual, no qual são exibidas danças tradicionais como txianda, miting, txichimba, tchissela, ulengo, macopo, chombe e mungongue, entre outros atractivos culturais.

O sector da Cultura, anunciou, tem a intenção de implementar, este ano, o projecto da criação de uma aldeia científica, onde serão efectuadas investigações e pesquisas dos hábitos e costumes do povo lunda, por parte dos estudantes e outros académicos.

Apontou a requalificação do edifício que vai ser a Casa da Cultura da província da Lunda-Sul, que comportará galerias para a exposição de peças artesanais, materiais de música rústica/tradicionais, sala de teatro, três salas de arte, estúdio de gravação e área de lazer. (Jornal de Angola)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker