CulturaMúsica

Conjunto “Os Kiezos” revisita cancioneiro de mais de cinco décadas no Show do Mês

Sucessos registados fundamentalmente nas décadas de 1960 e 1970 do século passado são o mote do concerto, que vai juntar, em dois dias, um dos principais conjuntos da música popular urbana angolana.

Sob a chancela da produtora Nova Energia, o conjunto musical Os Kiezos sobe ao palco do auditório do Royal Plaza, em Talatona, para dois concertos (28 e 29 de Junho) memoráveis, em que se aguarda uma viagem aos principais ritmos da banda. Temas como “Ngana Zambi”, “Comboio”, “Milhorró”, “Princesa Rita”, “Zá Boba”, “Maximbombo”, “Chapada”, “Boleia”, “Nguami Ku Soba”, “Kiezu jabu”, “Monami Messene”, “Muá Pangu”, entre tantos outros, deverão constituir o repertório. As expectativas são bastante altas, porquanto se augura por um bom espectáculo, como fez saber a OPAÍS um membro da organização, Nelson Cantos.

“Estamos a preparar mais um concerto no quadro da sexta temporada e esperamos ter casa cheia e apresentar, uma vez mais, um espectáculo memorável e de qualidade”, apontou. O também porta-voz do projecto “Show do Mês” disse, por outro lado, que, para além de uma visita ao cancioneiro do Conjunto Os Kiezos, pretende-se que as novas gerações conheçam o espólio musical de uma geração diferente, e também que as compunham em contexto diferente. “É um conjunto que tem na sua essência a identidade angolana, característica na sua sonoridade. Um Semba de raiz é, de todo, inconfundível. Passaram-se vários anos, mas a matriz continua.

E isso é importante que a que a novação de músicos, e não só, conheça”, referiu. Deste modo, está a ser preparada ao pormenor mais uma edição épica, que satisfaça o público que acompanha o projecto ao longo dos últimos seis anos, bem como os curiosos que pela primeira vez poderão ver e ouvir a dinâmica musical desta iniciativa. Para o artista, Os Kiezos eram o único grupo que tocava o Semba de raiz, se bem que havia outros agrupamentos a tocar bem, mas outros géneros de músicas.

Histórico do grupo

O nome do grupo deriva da palavra “Kiezu”, da língua nacional Kimbundu, que traduzido para o português significa “Vassouras”. Designação que surge no bairro Marçal, em Luanda, onde o grupo aparecia regularmente a animar festas, na sequência da poeira que era levantada nos quintais durante o “pé de dança”. António do Fumo “Tony do Fumo, Mário Arcanjo “Marito”, Vate Costa, Domingo da Silva e outros foram os percursores do conjunto, que data de Novembro de 1965, como consequência das festas em que eram os protagonistas.

“Não há presente sem passado”, apontou um crítico musical, que descreve o conjunto como uma das principais referências da sua época, cujo diferencial está na forma e nos arranjos, como executa o género angolano Semba há mais de cinco décadas.

O “Show do Mês”

É um projecto musical que também dá espaço aos artistas com menos oportunidades, tanto jovens como veteranos, velando sempre pela qualidade. Pelo palco desta iniciativa já passaram vários nomes, com destaque m, como Carlos Burity, Waldemar Bastos, Filipe Mukenga, Eduardo Paim, Paulo Flores, Euclides da Lomba, Gabriel Tchiema, Aline Frazão e outros. (O País)

 

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Close