AngolaCooperaçãoDestaquesDiplomaciaONU

África defende políticas urbanísticas justas

Nova Iorque - A representante permanente de Angola na ONU, Maria de Jesus Ferreira, defendeu segunda-feira a implementação de políticas urbanísticas justas para combater as assimetrias e garantir habitação digna para todos.

A diplomata discursava, em nome do Grupo Africano, na 58ª sessão da Comissão para o Desenvolvimento Social, sobre o tema “Sistemas de habitação e protecção social acessíveis para todos”.

Maria de Jesus Ferreira, que falava na qualidade de presidente do Grupo Africano junto da ONU para o mês de Fevereiro, considerou fundamental “defender a dignidade, a integridade, a igualdade e a equidade da humanidade, garantindo que todos os cidadãos tenham um abrigo decente”.

Na sua intervenção, a embaixadora considerou a urbanização sustentável um dos desafios mais prementes no mundo, tendo sugerido a implementação de iniciativas de protecção social para assegurar o emprego e o acesso a serviços sociais indispensáveis, como habitação.

No encontro, Maria de Jesus Ferreira defendeu a implementação de políticas estruturantes, que combatam as assimetrias regionais, para evitar a contínua migração de cidadãos das zonas rurais para as cidades à procura de melhores condições de vida e de sustento para as famílias.

Sede das Nações Unidas em Nova Iorque (Foto: Pedro Parente/Angop)

Apontou como principais factores da migração das zonas rurais para as cidades, as alterações climáticas, os tradicionais métodos agrícolas insustentáveis, o crescimento das cidades, o factor demográfico, conflitos, entre outros.

Na sessão da Comissão para o Desenvolvimento Social, a diplomata angolana manifestou preocupação com relação aos indicadores que dão como certo que, a partir de 2018, cerca de 23,5 por cento da população urbana vai viver em bairros suburbanos (musseques/favelas).

É neste quadro que a embaixadora considerou importante que as causas estruturais da falta de habitação sejam analisadas, profundamente.

Referiu que o défice entre a oferta de habitações e o aumento da população urbana criaram uma crise de desabrigados no mundo.

Exprimiu apoio à Nova Parceria para o Desenvolvimento da África (NEPAD) na implementação da agenda de desenvolvimento social e económico de África. (Angop)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close