Necrologia

Nigéria 2023: A ambição presidencial de Tinubu será frustrada?

A ambição presidencial do chefe do Congresso de Todos os Progressistas (APC), Bola Tinubu, pode chegar a um fim abrupto se ele não apresentar uma estratégia para superar a nova liderança do partido.

No início de 2020, o robusto APC e ex-governador do estado de Lagos, Asiwaju Bola Tinubu, parecia estar em posição de suceder ao presidente Muhammadu Buhari em 2023. Isso porque – além de seu acesso a fundos e conexões invejáveis ​​em todo o país – ele tinha forte influência sobre o partido liderado pelo seu presidente nacional, Adams Oshiomhole.

A influência de Tinubu também pareceu se estender à Comissão de Crimes Económicos e Financeiros (EFCC), uma agência federal comprometida com o combate a crimes financeiros. O EFCC, liderado por Ibrahim Magu na época, havia recebido várias petições contra Tinubu entre 2017 e 2020, mas não tomou nenhuma providência.

Tinubu da Nigéria: O leão de Bourdillon rugirá novamente?

Este era o título em que Jeune Afrique se interrogava há sete meses atrás, quando surgiram os primeiros sinais de avanço de Tinubu a uma eventual candidatura. Das previsões à realidade actual, o tempo encarrega-se agora de clarificar as pretensões de Asiwaju Bola Tinubu, concorrer ao cadeirão presidencial na Nigéria. Novo presidente, novas idéias num país que se perfila numa economia das mais pujantes do continente africano.

Bola Tinubu pode rejeitar as especulações de que está concorrendo às eleições presidenciais de 2023, mas pessoas dentro da política o vêem como favorito, ao lado do vice-presidente Yemi Osinbajo, do governador do estado de Ekiti Kayode Fayemi, do ministro dos transportes Rotimi Amaechi e do governador do estado de Kogi Yahaya Bello.

As eleições nacionais da Nigéria em 2023 podem ser uma das mais importantes na história do país. Uma nova geração de líderes que se tornou proeminente no século 21 está disputando assentos em um momento em que as questões de devolução de poder e política de identidade são cada vez mais prementes.

Ao mesmo tempo, o encolhimento do mercado mundial de petróleo está forçando a Nigéria a navegar por uma transição energética na próxima década, enquanto o governo e as empresas lutam para criar empregos significativos para a maior força de trabalho da África.

Os contendores começaram a disputar posições assim que as eleições de 2019 estavam fora do caminho. O primeiro político a ter uma campanha lançada em seu nome foi o senador Bola Ahmed Tinubu, ex-governador do estado de Lagos e padrinho de uma geração de políticos do sudoeste da Nigéria.

A frase “lançar uma campanha em seu nome” é a chave: Tinubu dispensou zombeteiramente jornalistas que relataram que ele estaria concorrendo à presidência em 2023.

Na política nigeriana, é um facto que o primeiro chapéu no ringue para a corrida presidencial pode ser pisoteado com força . Como tal, há todas as razões para Tinubu se distanciar daqueles que dirigem a campanha indiscretamente chamada South West Agenda 2023 (SWAGA 23) em seu nome.

E é difícil encontrar um insider político em Abuja e Lagos que não veja Tinubu como um favorito para a corrida de 2023 ao lado do vice-presidente Yemi Osinbajo, governador do estado de Ekiti Kayode Fayemi, ministro dos transportes Rotimi Amaechi e governador do estado de Kogi Yahaya Bello.

A favor de Tinubu está a sua determinação de desenvolver uma nova classe política no sudoeste da Nigéria com aliados em todo o país. Sem dúvida, Tinubu é o político com melhor rede na Nigéria, além de servir a chefes de Estado. (Africa Insight)

 

 

Tags
Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker