Comércio e IndústriaDestaquesImobiliárioInvestimento

URBINVESTE considera “infundada” anulação do projecto da Marginal (Vídeo)

A empresa URBINVESTE considerou “falsas e infundadas as afirmações da existência de sobrefacturações, nos contratos ou no âmbito dos trabalhos da obra de dragagens e de construção da marginal da Corimba”.

Em comunicado oficial, a empresa do sector imobiliário decidiu esclarecer algumas questões referentes ao conteúdo o Despacho Presidencial 72/19, que anulou e revogou os contratos relativos ao Projecto Marginal da Corimba.

“São falsas e infundadas as acusações de práticas de imoralidade ou de falta de transparência no processo das obras de dragagens da Marginal da Corimba adjudicadas ao consórcio integrado pela empresa holandesa Van Oord Dredging and Marine Contractores BV e pela URBINVESTE”, afirma.

Ao longo do documento, explica também que a empresa “assumiu, desde a sua origem, o papel de promotor do Projecto Marginal da Corimba, tendo sido responsável pela sua concepção, desenho, viabilização e apresentação ao Estado Angolano”.

VIDEO NOTICIA DA ANULAÇÃO DO PROJECTO URBINVESTE – TPA YOU TUBE

“Não foram apresentados pelo Estado angolano nem por nenhum órgão do executivo qualquer elemento de prova ou evidência de sobrefacturação do consórcio e não foi conduzida nenhuma investigação, análise ou estudo comparativo de preços que pudesse produzir provas neste sentido. Adicionalmente não foi conferido qualquer direito de audiência prévia, nos termos legalmente previsto”, observa a empresa, defendendo ainda que “também não foi demonstrada qualquer prática imoral”.

Para a URBINVESTE, “trata-se de uma decisão selectiva e não objectiva, baseada em afirmações falsas e infundadas e em critérios e fundamentos que não são nem objectivos nem factuais”. (Mercado)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close