AndebolDesportoDestaques

Lista B quer políticas iguais de desenvolvimento

As políticas de desenvolvimento, com destaque para a massificação, devem ser equilibradas em todo o país, conforme defende o candidato da lista - B à presidência da Federação Angolana de Andebol (FAAND).

José Amaral “Maninho” exteriorizou este pensamento na quarta-feira, em Malanje, por altura da apresentação do seu programa para o quadriénio 2020/24.

No encontro com a Associação, clubes e agentes desportivos, o antigo praticante reiterou existir diferença entre a prática do andebol em Luanda e noutras províncias do país, pelo que pretende inverter o quadro.

No caso particular de Malanje, entende que se deve resgatar a mística de outros tempos, quando a província era celeiro da modalidade com jogadores (jogadoras) nas selecções nacionais.

Localmente, caso seja eleito, como disse, o seu plano passa, entre outros, pela criação de escolas e formação de técnicos.

Referiu ser o andebol uma das modalidades mais praticadas no país, mas, no entanto, está em declínio, após os níveis atingidos, sobretudo em femininos.

O aspirante ao posto de liderança da FAAND apontou a criação de um Comité de Ética com o objectivo de regular a conduta dos fazedores do andebol em Angola.

Também, no âmbito da caça ao voto, trabalhou em Malanje, na semana finda, uma comitiva da lista A, encabeçada por Zeca Venâncio.

O pleito na FAANDA acontece a 31 deste mês. (Angop)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker