Futebol

Dani Alves e o momento do São Paulo: «É uma missão para aqueles que têm tomates»

Jogador aceita as críticas dos adeptos mas diz que não é o "salvador da pátria"

Após 17 anos no futebol europeu, Dani Alves regressou ao Brasil no último verão para representar o São Paulo e tem sido uma das figuras do atual 5.º classificado do Brasileirão, que luta por uma vaga direta para a próxima edição da Taça Libertadores – está a um ponto do Grémio, 4.º colocado do campeonato.

Na quinta-feira, o São Paulo perdeu em casa frente ao Fluminense (que luta pela manutenção) por duas bolas a zero e com uma exibição discreta por parte de Dani Alves. No final da partida, o jogador de 36 anos falou aos jornalistas no Morumbi e garantiu que vai continuar empenhado em contribuir para o crescimento dos colegas, da equipa e do clube, mas rejeitou o papel de ‘salvador da pátria’.

“Vou cometer erros, vou cometer acertos, mas não vou desistir do meu objetivo neste clube. Conheço as dificuldades que existem dentro do clube. Não sou um salvador da pátria, mas sou alguém que vai ajudar que a pátria seja um pouco melhor”, disse o lateral direito do tricolor.Dani Alves admite que a falta de títulos e conquistas “gera algum nervosismo” e diz entender as críticas dos adeptos do São Paulo.

“É normal que os adeptos estejam zangados, porque querem que o clube volte a ser o que foi. A missão é árdua, é dura, difícil e desafiadora, é uma missão para aqueles que têm tomates, por isso a cobrança é normal. Quem não está disposto a ser cobrado não merece nenhum objetivo. Este é um clube grande e histórico, por isso tomei a decisão de vir jogar para aqui”, justificou o jogador formado no Bahia, que na Europa representou Sevilha, Barcelona, Juventus e PSG. (Record)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close