Futebol

FAF fala em especulação sobre situação dos Palancas

Capitão Mateus Galiano diz que balneário quer continuar com Srdjan Vasiljevic no comando da Selecção Nacional.

A menos de um mês da disputa dos dois jogos frente à Gâmbia, na preliminar de apuramento para o Mundial de 2022, no Qatar, os Palancas Negras continuam com o destino incerto, sobretudo quanto ao seu comando técnico, numa altura em que o elenco federativo encabeçado por Artur Almeida e Silva e o seleccionador nacional, o sérvio Srdjan Vasiljevic, parecem estar de costas viradas.

O primeiro desafio da eliminatória está marcado para o dia 2 de Setembro, em Banjul, enquanto o segundo acontece a 10, uma semana depois, em Luanda. Da Federação nada transpira em relação ao programa de trabalho, com vista a disputa da presença na fase de grupos.

Contactado ontem pelo Jornal de Angola, o vice-presidente para as Selecções Nacionais, Adão Costa, mostrou-se indisponível, por razões de saúde. Pediu que se enviasse um questionário, cujas respostas são aqui reproduzidas.

Além do programa de preparação gizado para o duplo compromisso com os Escorpiões da Gâmbia (podem cruzar igualmente o caminho dos Palancas Negras, na corrida ao CAN’2021, nos Camarões, caso vençam a preliminar diante do Djibuti, em Outubro), o nosso jornal procurou saber, junto do dirigente federativo, quem vai orientar a equipa nacional.

“Se a preparação a que se refere for técnica, penso que sabe os marcos das convocatórias. Se for administrativa, essa começou há muito tempo”, disse Adão Costa, que colocou o acento tónico em alegadas especulações, apesar de nos bastidores da modalidade estar a ganhar corpo a possibilidade de o português Pedro Gonçalves, seleccionador dos Sub-17, que em Outubro vão disputar o Mundial no Brasil, assumir o comando das Honras, caso se mantenha o impasse entre a FAF e Vasiljevic.

“Está claro que queremos todos dar alegria ao nosso povo, principalmente nesta fase especial da vida do país. Queremos continuar com Vasiljevic” Ao que consta, o treinador passou a interagir com a entidade patronal através de advogados.

“O distanciamento em questão é uma afirmação vossa ou um facto anunciado pela FAF? Pede o meu pronunciamento com base numa especulação? Penso que o correcto seria com base em dados oficiais. Certo? Asseguro também que nunca falámos com o treinador por via de advogados. Logo, isso é falso. Aliás, pode sempre saber junto do próprio treinador ou de alguém próximo dele”, esclareceu o vice-presidente.

Apelo do capitão

Preocupado com a coesão do grupo, depois das peripécias vividas em Portugal, durante a preparação, no Cairo, Suez e Ismailia, já no calor da disputa da Taça de África das Nações, realizada recente- mente no Egipto, Mateus Galiano, capitão do combinado angolano, disse, ao telefone, que tem contactado os restantes jogadores chamados do estrangeiro, no sentido de reforçar a entrega para a defesa do interesse nacional.

O avançado do Boavista, da Liga portuguesa, sublinhou a necessidade de se clarificar o actual momento da Selecção, sobretudo do seu comando técnico. “Acredito que vamos to-dos tirar a maior lição do que nos aconteceu. Está claro que queremos todos dar alegria ao nosso povo, principalmente nesta fase especial da vida do país. Queremos continuar com Vasiljevic”.

Melhor marcador dos Palancas Negras na campanha de apuramento, com quatro golos, Mateus lembrou: “Alguns colegas ficaram melindrados. Principalmente os que vieram pela primeira vez. Mas temos de puxar todos para o mesmo lado, com a valorização dos atletas. O sucesso começa em pequenos detalhes, gestos e palavras simples.”

A propósito do assunto, na resposta ao questionário, Adão Costa preferiu fazer perguntas. “Novamente especulação.Quais jogadores? Nenhum atleta nos abordou sobre esse assunto. Logo, sem dados oficiais, não podemos comentar. Ou seja, não na base da especulação”. (Jornal de Angola)

Por: Honorato Silva

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Ver também

Close
Close