Basquetebol

1º de Agosto aguarda por adversário para jogar G8

Assegurada a primeira posição na Série C da fase de grupos, com seis pontos, resultantes de três vitórias em igual número de partidas, o 1º de Agosto aguarda, a partir de agora e até ao início de Março, pelo adversário da etapa seguinte, designada por elite G-8 da AfroLiga dos clubes campeões sénior masculino de basquetebol.

Macedo e pupilos aguardam pelas equipas do Grupo A, B e D, sendo que neste último, está o eterno rival, Petro de Luanda, ao lado do Smouha SC (Egipto) BC Mazembe (Congo Democrático) e COSPN (Madagáscar). Os jogos deste grupo decorrem de 15 a 17 deste mês, em Antananarivo, Madagáscar.

No grupo A estão AS Salé (Marrocos); R. Hoopers (Nigéria); JS Kairouan (Tunísia) e SLAC (Guiné-Conacri), estas jogam de 1 a 3 de Março. No B foram sorteadas ES Radés (Tunísia); Defenders (Nigéria); Elan BBC (Benin) e BC Terreur (Congo), estando os duelos previstos para de 8 a 10 de Março.

Estreantes da edição pioneira da prova da FIBA-África com novos moldes de disputa, os militares do Rio Seco, às ordens técnicas do angolano Paulo Macedo, fizeram jus aos prognósticos e ao estatuto que ostentam no continente, com oito Taças dos Clubes conquistadas.

Sem pestanejarem, na cidade do Cairo, Egipto, os Agostinho não deram tréguas à concorrência e na abertura da jornada vergaram por 86-77, o Al Ahly, anfitrião do evento. Eduardo Mingas, poste de 1,98 metros, 40 anos, foi o jogador em evidência neste desafio.  O ex-internacional angolano, quatro vezes campeão ao serviço da Selecção Nacional, nos Afrobasket´s de 2005 em Argel, 2007 em Luanda, 2009 em Tripoli, e 2013 em Abidjan, foi ainda o atleta mais valorizado, com 30.

Reginald Holmes, extremo-base de nacionalidade norte-americana, foi o melhor cestinha do encontro com 27 pontos. O jogador da equipa egípcia destacou-se ainda com 27 de valorização.
Na segunda jornada, novo triunfo, 70-64, diante do REG BBC, do Ruanda. Neste encontro, destaque para o extremo Islando Manuel, ao marcar 26 pontos e 21 de valorização. Olivier Shyaka teve maior notoriedade ao converter 15 pontos.

Ali Kazingufu foi o mais valorizado com 14. No encerramento, o 1º de Agosto vergou convincentemente, 87-55, o Ferroviário da Beira (Moçambique). O extremo Pedro Bastos, 19 pontos foi o melhor cestinha e o mais valorizado com 23.

No cômputo geral, a formação rubro-negra marcou 243 pontos, média de 81 pontos por partida. Defensivamente Armando Costa, Manny Quezada, Edson Ndoniema e colegas sofreram 196, média de 65 pontos por jogo.
Ofensivamente o Al Ahly aproximou-se dos campeões angolanos ao marcar 241 e ao sofrer 239 pontos. (Jornal de Angola)

Por: Anaximandro Magalhães

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Close