DestaquesFutebolPortugal

Regresso às vitórias foi conseguido, o resto nem por isso

Benfica ganhou em Tondela, num jogo que começou a perder logo ao primeiro minuto, e aliviou a pressão sobre Rui Vitória. Mas só chegou ao triunfo em superioridade numérica e voltou a mostrar fragilidades

Não foi sem uma boa dose de drama que o Benfica regressou por fim às vitórias, depois de quatro jogos conescutivos sem ganhar que deixavam Rui Vitória a jogar o seu futuro nesta deslocação a Tondela.

A pior fase do treinador desde que chegou à Luz no verão de 2015 ficou ainda mais negra no primeiro lance da partida. Antes de o ponteiro dos segundos dar uma volta completa ao relógio já o Benfica se via a perder em Tondela, graças a um golo repartido entre o central argentino Conti e o avançado da casa António Xavier, que acorreram ao cruzamento de Murillo desde a direita.

No regresso ao eixo da defesa, no seu primeiro jogo como titular na Liga – onde só jogara 76 minutos em Chaves, à 6.ª jornada, entrando para substituir o lesionado Jardel e acabando expulso perto do fim – German Conti voltou a ser infeliz e agravou o cenário para um Benfica que continua a expor grande vulnerabilidade defensiva (quinto jogo consecutivo a sofrer golos, em todas as provas).

Não foi sem uma boa dose de drama que o Benfica regressou por fim às vitórias, depois de quatro jogos conescutivos sem ganhar que deixavam Rui Vitória a jogar o seu futuro nesta deslocação a Tondela.

A pior fase do treinador desde que chegou à Luz no verão de 2015 ficou ainda mais negra no primeiro lance da partida. Antes de o ponteiro dos segundos dar uma volta completa ao relógio já o Benfica se via a perder em Tondela, graças a um golo repartido entre o central argentino Conti e o avançado da casa António Xavier, que acorreram ao cruzamento de Murillo desde a direita.

No regresso ao eixo da defesa, no seu primeiro jogo como titular na Liga – onde só jogara 76 minutos em Chaves, à 6.ª jornada, entrando para substituir o lesionado Jardel e acabando expulso perto do fim – German Conti voltou a ser infeliz e agravou o cenário para um Benfica que continua a expor grande vulnerabilidade defensiva (quinto jogo consecutivo a sofrer golos, em todas as provas).

Com Pizzi de regresso ao onze inicial, no meio-campo, depois de ter sido relegado para o banco no jogo europeu com o Ajax a meio da semana, e com Rafa Silva no lugar do lesionado Salvio, o Benfica voltava a mostrar as dificuldades que se lhe conhecem na construção, mas, com o sentido de urgência a aumentar de forma alarmante, apareceu Jonas a resgatar a equipa (e sobretudo o seu técnico) ainda antes dos dez minutos.

O brasileiro, que voltara à titularidade na semana passada, continua a ser um fator diferenciador no Benfica e na liga portuguesa e empatou aos nove minutos num belo gesto de cabeça, a antecipar-se a Ricardo Costa e a dar a melhor sequência a um cruzamento de André Almeida.

Em altura de crise de jogo, ter Jonas a recuperar a forma só pode ser um sinal de alívio para Rui Vitória. Mas este Benfica continua a mostrar muitos sinais contraditórios, longe de poder tranquilizar os adeptos.

Em Tondela, mesmo depois do empate, a equipa encarnada voltou a passar por alguns calafrios defensivos e poderia mesmo ter voltado a sofrer num par de ocasiões, como aquela em que Conti se redimiu do autogolo e salvou sobre a linha uma bola picada por Murillo sobre Vlachodimos, aos 37 minutos. Chega a ser impressionante a facilidade com que os adversários conseguem expor a falta de eficácia dos processos defensivos do Benfica.

Pelo meio, a equipa de Rui Vitória ia tentando explorar a profundidade de Rafa Silva. Sobretudo a partir de lançamentos longos do brasileiro Gabriel, a quem cabia a distribuição de jogo a meio-campo. Outras vezes, através de triangulações por cada uma das alas, com Pizzi a descair muitas vezes para a direita, onde André Almeida se mostrava muito ativo nas subidas.

Rafa ainda acertou no poste uma vez (28′) e desperdiçou um outro lance isolado (32′) na primeira parte, mas o intervalo chegou com o empate e a sensação de que o Benfica teria de fazer bastante mais na segunda metade.

A equipa de Rui Vitória regressou dos balneários mais pressionante, a tentar recuperar bolas mais à frente no terreno, quando de repente viu a tarefa facilitada com a expulsão de David Bruno. O lateral do Tondela viu dois amarelos em cinco minutos e deixou a sua equipa a jogar com dez para os últimos 35 minutos.

Fragilidades defensivas

Em superioridade, o treinador encarnado lançou Seferovic para reforçar a presença na área, mas ainda viu o Tondela ameaçar o golo, por António Xavier (valeu Vlachodimos), antes de o avançado suíço justificar a escolha e completar a reviravolta do Benfica, cinco minutos depois de entrar em campo, mais uma vez com assistência de André Almeida.

Mesmo a ganhar e a jogar com mais um elemento, o Benfica voltou a conceder oportunidades ao adversário. António Xavier voltou a ter o golo nos pés, quando apareceu isolado em frente a Vlachodimos, num contra-ataque rápido dos da casa que apanhou a defensiva encarnada mais uma vez descompensada, mas o remate saiu a milímetros do poste.

Até que Rafa Silva sentenciou de vez a partida com o terceiro golo do Benfica, a finalizar uma boa jogada coletiva que envolveu Gabriel, Grimaldo, Jonas e Pizzi, com este a assistir de calcanhar o extremo.

A partir daí estava assegurado o regresso do Benfica às vitórias, depois de duas derrotas consecutivas no campeonato e uma série de quatro jogos sem ganhar em todas as competições. O Tondela ainda ficou reduzido a nove, com mais uma expulsão (entrada violenta de Ícaro sobre Rafa), e Rui Vitória pôde enfim suspirar de alívio pelo fim da sua pior série no Benfica.

A equipa, no entanto, continua longe de parecer segura ou sequer formosa. Poemas, só de sofrimento.

Ficha de jogo

Jogo no Estádio João Cardoso, em Tondela.

Tondela – Benfica, 1-3.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

1-0, Conti, 01 minuto.

1-1, Jonas, 09.

1-2, Seferovic, 64.

1-3, Rafa, 75.

Equipas:

– Tondela: Cláudio Ramos, David Bruno, Ícaro, Ricardo Costa, Joãozinho, Xavier (João Reis, 86), Hélder Tavares, Bruno Monteiro, John Murillo (Delgado, 69), Sergio Peña (Jorge Fernandes, 57) e Tomané.

(Suplentes: Pedro Silva, João Reis, Jorge Fernandes, João Mendes, Jaquité, Patrick e Delgado).

Treinador: Pepa.

– Benfica: Odysseas, André Almeida, Conti, Rúben Dias, Grimaldo, Fejsa (Samaris, 85), Gabriel, Pizzi (Zivkovic, 76), Cervi (Seferovic, 59), Jonas e Rafa.

(Suplentes: Svilar, Samaris, Félix, Gedson, Krovinovic, Zivkovic e Seferovic).

Treinador: Rui Vitória.

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Rafa (17), Cervi (22), Xavier (23) Tomané (38), David Bruno (51 e 54)Vermelho por acumulação), Fejsa (62). Cartão vermelho por acumulação para David Bruno (54). Cartão vermelho direto para Ícaro (84).

Assistência: 4.755 espetadores.

André Almeida. Lateral e capitão encarnado fez as assistências para os dois primeiros golos do Benfica e conseguiu sempre dar profundidade ao jogo da sua equipa pelo lado direito, entendendo-se bem com Pizzi e Rafa Silva. A defender também não foi pelo seu lado que o Tondela criou mais perigo, conseguindo ser muito mais eficaz do que o colega do outro lado, Grimaldo.

Ver imagem no Twitter

GoalPoint.pt ⚽@_Goalpoint

⚽ Tondela 🆚 Benfica

“Auriverdes” entram a vencer mas as “águias” dão a volta e regressam às vitórias
Ratings em http://goalpoint.pt 

O Benfica volta às vitórias com um triunfo por 3-1 em Tondela, num jogo que até começou da pior forma para a equipa de Rui Vitória, com um autogolo de Conti no primeiro minuto. Jonas, aos 9′, Seferovic, aos 64′, e Rafa, aos 75′, concretizaram a reviravolta do Benfica contra um Tondela que terminou com apenas nove jogadores, por expulsões de David Bruno e Ícaro

Cláudio Ramos evita que a bola chegue a Sefeerovic para o 1-4, agarrando em voo a bola cruzada por Rafa Entra João Reis, sai António Xavier

Benfica

Sai Fejsa, entra Samaris

Troca de médios defensivos no Benfica

Tondela
Vermelho direto para Ícaro

Defesa do Tondela ceifou Rafa de forma violenta e foi expulso. Equipa da casa fica a jogar com nov

o golo de Seferovic

Benfica

Sai Pizzi e entra Zivkovic

Médio português sai depois de ter feito a assistência para o terceiro golo

76′
2nd Half
 Rafa
Midfielder
GOLO DO BENFICA (1-3)

Rafa faz o terceiro e dá alguma tranquilidade aos encarnados. A ganhar por dois e com um jogador a mais, o Benfica parece ter a vitória no bolso. (Diário de Notícias)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker