AngolaDestaquesReligiões

Direcção da Igreja Universal posiciona-se contra a profusão de comunicados

A Direcção da Igreja Universal do Reino de Deus tomou conhecimento por intermédio das redes sociais de um “comunicado para a imprensa” vindo de pessoas sem legitimidade para o fazer e utilizando de forma ilegal o nome desta instituição religiosa, porquanto o fazem em nome de uma instituição devidamente reconhecida e legalizada, devidamente representada nos termos da Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 13 de Fevereiro de 2021 e devidamente publicada em Diário da República, III Série, número 41 de 10 de Março de 2021.

Nestes termos, a Direcção da Igreja Universal do Reino de Deus repudia veementemente tal comunicado, porque despido de legalidade e sem legitimidade para o efeito, reservando-se ao direito de agir judicialmente contra tais actos ilegais.

É do conhecimento público em geral, o comunicado do Ministério da Cultura e do Instituto Nacional para os Assuntos Religiosos (INAR) que para efeitos de legalidade da liderança da IURD, o representante legal e devidamente reconhecido pelo Estado Angolano é o seu Presidente do Conselho de Direcção, Bispo Valente Bizerra Luís, legalmente eleito na referida assembleia.

Apelamos a todas instituições públicas da República de Angola a não reconhecer actos que não sejam oriundos da actual Direcção da Igreja Universal do Reino de Deus e pelos seus representantes legais eleitos na Assembleia constante do Diário da República, porquanto não são reconhecidas pelo Estado Angolano, estão eivadas de nulidade e ainda feridas de ilegalidade.

Qualquer tentativa de convocar assembleias, tomar decisões, fazer comunicados ou qualquer outra atitude que não sejam por parte da actual direcção desta instituição e dos seus representantes legais devidamente eleitos na Assembleia acima referida e reconhecidos pelo Estado Angolano são ilegais e passíveis de processo criminal, devendo por isso ser imediatamente denunciadas para o devido procedimento criminal.

A pretensa assembleia geral extraordinária, a acontecer, estará despida de qualquer legalidade e eivada de vícios, não sendo reconhecida por vir de quem não tem legitimidade para o efeito e também por violar os estatutos da instituição, não podendo ser reconhecida pelas Autoridades Angolanas.

Luanda, 20 de Maio de 2021.

A Direcção da Igreja Universal do Reino de Deus

Comunicado de Imprensa 20.05.2021

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker