ÁfricaDestaques

Vítimas de desnutrição aguda aumentam no Sudão do Sul

Avaliação sobre estado da emergência alimentar revela subida de 3% em um ano; situação é causada por altos níveis de insegurança alimentar, hábitos de alimentação de bebês e crianças pequenas.

Agências das Nações Unidas alertaram que pelo menos 1,3 milhão de crianças com menos de cinco anos enfrentarão desnutrição aguda no Sudão do Sul em 2020.

A previsão faz parte de um relatório que apresenta a situação da emergência alimentar divulgado na quarta-feira em Juba, em parceria com o Governo do Sudão do Sul.

Sudão do Sul vive a maior crise de deslocamento da África. (Foto: ONU/Isaac Billy)

Crianças 

O mais novo país do mundo teve uma subida no nível de desnutrição aguda entre crianças dos 13% de 2018 para 16% este ano. Estes números estão acima do limite, de acordo com a mais recente Classificação Integrada de Fase de Segurança Alimentar, conhecida por IPC.

O estudo envolveu o Governo do Sudão do Sul, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, o Fundo da ONU para a Infância, Unicef, e o Programa Mundial de Alimentos, PMA.

As razões para as altas taxas de desnutrição aguda são altos níveis de insegurança alimentar, maus hábitos alimentares para bebês e crianças pequenas. Outra razão é o alto número de pessoas que adoecem devido aos fracos sistemas de saúde.

Complexidade

Para o representante do Unicef no Sudão do Sul, Mohamed Ag Ayoya, o aumento da desnutrição aguda em crianças revela a complexidade da questão, mas também como é pouco o tempo para a reconstrução e destruição.

Para ele, essa situação exige uma mudança de paradigma, colocando a prevenção em primeiro lugar, antes de se aumentar o tratamento.

Um comboio transportando produtos para combater a desnutrição aguda foi enviado às regiões do Grande Nilo e do antigo estado de Warrap.

O relatório destaca ainda que mais da metade dos cerca de 13 milhões de sul-sudaneses ainda enfrenta grave escassez de alimentos apesar da leve melhora na situação de segurança alimentar.

(Foto: PMA/Gabriela Vivacqua)
PMA assiste 29 mil pessoas em Pieri, no Sudão do Sul. Cerca de 6,6 mil são crianças. (ONU News)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker