ÁfricaDestaquesMoçambique

Negócio ilegal de madeira está a deixar uma província sem árvores

Cerca de 174 toneladas de madeira são ilegalmente transportadas todos os dias da província de Gaza, sul de Moçambique, para outros pontos do país, havendo já distritos quase sem árvores.

O alerta veio da Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC). “Numa análise que fizemos, os números indicam que 174 toneladas de madeira são transportadas todos os dias ilegalmente”, afirmou o diretor de Proteção e Fiscalização da ANAC, Carlos Pereira, citado hoje pelo diário Notícias.

No distrito de Massingir, por exemplo, já quase não há arvores, devido ao abate indiscriminado e exploração ilegal de madeira, acrescentou.

“Estamos a destruir a nossa floresta”, salientou Carlos Pereira, referindo que, além de serem cortadas para fins comerciais, as árvores são destruídas pela população para o uso da lenha.

“Temos de encontrar alternativas para aquelas pessoas que vivem da atividade de carvão” feito a partir da madeira, defendeu o diretor de Proteção e Fiscalização da ANAC.

Vários relatórios nacionais e internacionais indicam que as florestas moçambicanas estão a ser palco de crimes ambientais, principalmente o corte ilegal de árvores.

O governo estima que Moçambique perca anualmente entre 140 a 187 milhões de euros devido ao contrabando de madeira. (Plataforma)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

1 thought on “Negócio ilegal de madeira está a deixar uma província sem árvores”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close