África

Confrontos entre soldados e milicianos deixam 14 mortos em Ituri

Kinshasa - Catorze pessoas - milicianos, civis e soldados - morreram em Ituri, no nordeste da República Democrática do Congo (RDC) durante confrontos armados, anunciou hoje o Exército.

Trata-se de 11 milicianos de um grupo armado não identificado, dois civis e igual número de soldados mortos durante os confrontos na aldeia de Dhedja, território de Djugu (Ituri), indicou o porta-voz do Exército em Ituri, Jules Ngongo,.

Outros nove milicianos foram capturados, segundo a mesma fonte. Nesta província rica em ouro e petróleo, os assassinatos atribuídos a uma milícia de obediência étnica deixaram quase 200 mortos em Junho e mais de 300 mil deslocados.

Cerca de oito mil pessoas refugiaram-se no Uganda, fugindo da violência.

A sociedade civil estima que a comunidade Hema é a mais visada pelos assassinatos perpetrados por uma milícia conhecida por Ngoundjolo.

O presidente Félix Tshisekedi, que visitou esta região na semana passada, afirmou que estas mortes constituem um “complot” para “desestabilizar” o seu poder.

Ituri é também afectada por uma epidemia de Ébola proveniente da província vizinha do Kivu Norte, a 01 de Agosto.

Esta epidemia causou já mil e 641 mortes, dos quais mil e 547 entre os dois mil e 334 casos confirmados. Desde o início da epidemia 683 pessoas foram já curadas desta doença. (Angop)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close