ÁfricaCabo VerdeDestaquesNovas TecnologiasTelecomunicações

Cabo Verde no sistema de ligação por cabos submarinos entre Europa e América Latina

A empresa Cabo Verde Telecom (CVTelecom) faz parte dum projeto de criação dum sistema de cabos submarinos programado para funcionar em 2020, de modo a satisfazer a procura de tráfego entre a Europa e a América Latina, apurou a PANA de fonte segura.

Para o efeito, a  CVTelecom, o maior grupo de provedores de telecomunicações em Cabo Verde, e a EllaLink assinaram a 11 de dezembro último um contrato para fornecer conetividade entre esses dois continentes, através do sistema de cabo submarino de quatro pares de fibra de última geração e que liga centros de dados em Madrid (Espanha), Lisboa (Portugal), Marselha (Franca), Fortaleza e São Paulo (Brasil).

O presidente do Conselho de Administração (PCA) da CV Telecom, Jose Luis Livramento, citado numa nota de imprensa divulgada pelo gabinete de Comunicação e Imagem daquela empresa, considerou que “Cabo Verde goza de uma posição geopolítica única no Atlântico, equidistante entre a Europa e a América Latina e perto de África com um compromisso estável e sólido de ordem e democracia, o que faz com que seja o Hub (plataforma) ideal para interligar estes territórios ”.

Revelou que “a EllaLink trabalhou lado a lado com a CVTelecom ao longo dos últimos anos para que Cabo Verde beneficie desta oportunidade única de garantir e aumentar a sua conetividade internacional altamente competitiva”.

“Investir no sistema EllaLink posicionará Cabo Verde como um dos líderes na transformação digital da região”, anota o  PCA da CVTelecom.

Uma nota da empresa adianta que, com esta nova conetividade, as ilhas de Cabo Verde terão maior diversidade e resiliência dentro da infraestrutura de telecomunicações, bem como acesso à capacidade que contribuirá para a rápida evolução do crescimento da Internet e dados 5G (cinco gigas) na região.

Também o PCA da EllaLink, Alfonso Gajate, considera que “este acordo com a Cabo Verde Telecom é fundamental para o projeto”, uma vez que, frisou, permite avançar e começar a construir o sistema de cabo submarino da empresa.

Disse que o investimento de 25 milhões de dólares da CVTelecom na EllaLink marca uma importante decisão estratégica para o país, na medida em que, acrescentou, ajudará no desenvolvimento da sua visão social e económica.

“Ligar Cabo Verde à Europa e à América Latina, com uma capacidade inicial de 200 Gbps, permitirá à CVTelecom criar uma plataforma de Tecnologia de Informação no Atlântico”, regozijou-se Alfonso Gajate.

Devido à separação vertical regulamentar dos mercados, a Cabo Verde Telecom detém a totalidade da CVMóvel e da CVMultimédia, que são operadoras de telecomunicações, líderes na prestação de serviços nos setores móvel e multimédia.

A empresa explora, igualmente, uma concessão de serviços do Estado de Cabo Verde, explorando a sua rede fixa que inclui, entre outros, o sistema de cabos submarinos de fibra ótica entre ilhas, bem como os sistemas de cabos submarinos de fibra ótica internacional Atlantis 2 e WACS.

O sistema EllaLink será o fator fundamental para garantir a conetividade de Cabo Verde ao mundo e permitir o desenvolvimento da visão social e económica do país.

A EllaLink, empresa privada e independente, vocacionada para fornecer produtos e serviços numa base de acesso neutra e aberta, representa um avançado sistema de cabos submarinos que oferece conetividade segura de alta capacidade em uma única rota transatlântica de baixa latência que atende às crescentes necessidades dos mercados latino-americano e europeu.

O sistema está a ser construído com uma tecnologia de ponta, oferecendo inicialmente 72T bps de capacidade em quatro pares de fibra.

Os locais de pouso em Praia Grande (Brasil), Fortaleza (Brasil) e Sines (Portugal) foram assegurados, e a EllaLink pretende entrar em serviço em 2020. (Panapress)

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Close